Brasil quer aumentar produção de fertilizantes

Governo começa a debater plano com este objetivo.

Imagem: Eliza Maliszewski

O Brasil tem uma das maiores agriculturas do mundo e o 4º maior consumidor de fertilizantes mas ainda importa grande parte do que usa nos cultivos, cerca de 75%, sendo o maior importador mundial.

Na década entre 2007 e 2017 a produção nacional caiu de 9,81 milhões de toneladas para 8,184 milhões. No mesmo período as importações brasileiras de fertilizantes cresceram 105%. Em 2019 o país usou 36 milhões de toneladas e produziu apenas 23% ou 8,2 milhões de toneladas. A maior dependência brasileira é pelo nutriente potássico (95%), seguido pelos nitrogenados (80%) e pelos fosforados (55%), informa a Associação Internacional de Fertilizantes.

Com o objetivo de diminuir esta dependência foi realizada nesta terça-feira (9) a primeira reunião do Grupo de Trabalho Interministerial encarregado pela elaboração do Plano Nacional de Fertilizantes. O grupo foi criado com a publicação do Decreto 10.605 e terá encontros a cada 15 dias.

A Ministra da Agricultura,Tereza Cristina, reforçou que os fertilizantes são insumos estratégicos para a agricultura brasileira e disse que o Brasil precisa ter uma produção mínima de fertilizantes para garantir a segurança nacional e a segurança alimentar. “No momento que teve a pandemia, vocês viram como foi importante a segurança alimentar do nosso país. A nossa agricultura cresce todos os anos, então cada vez mais vamos precisar de fertilizantes. Esse grupo vai justamente vai dar este norte”, disse.

O Grupo de Trabalho é formado por representantes da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Casa Civil e dos ministérios da Agricultura, Economia, Infraestrutura, Minas e Energia, Meio Ambiente e Ciência, Tecnologia e Inovações, além da Embrapa, Gabinete de Segurança Institucional e Advocacia-Geral da União. A secretaria executiva ficará a cargo da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos.

O objetivo do plano é tornar o país protagonista em inovação tecnológica em nutrição de plantas de forma sustentável, expandir a produção e oferta de fertilizantes nacionais e reduzir a dependência de produtos externos. O GTI deverá entregar o Plano Nacional de Fertilizantes ao Secretário Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República em um prazo de 120 dias.

Por: Agrolink

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-6Bt

Você pode gostar...