Categorias
Agronotícias Meteorologia

Vem chuva no final de semana? CONFIRA

Combinação de fatores climáticos foi principal responsável pelas chuvas volumosas e temporais

A umidade vai se concentrar mais sobre as regiões Norte e Nordeste do Brasil nos próximos dias, proporcionando a manutenção do tempo instável, de acordo com previsão de Tiago Robles, meteorologista da Meteored. Já no Centro-Sul do país, aponta ele, o destaque fica para as temperaturas mais baixas e para a sensação de frio.

“Nesta última semana a combinação dos fatores climáticos Oscilação Antártica (AAO) e Madden-Julian (MJO) foi a principal responsável pelas chuvas volumosas e temporais por boa parte do país. Essa influência se mantém ao longo do fim de semana, com a banda de nebulosidade e chuva (zona de convergência) concentrada sobre as regiões Norte e Nordeste e para a manutenção das temperaturas mais baixas em boa parte do Centro-Sul”, explica o meteorologista.

Segundo previsão da Meteored, neste sábado (21 de Novembro), as chuvas torrenciais se mantêm no leste da Bahia pela manhã, mais especificamente entre Porto Seguro e Ilhéus, se estendendo para o interior um pouco mais de 100 km. A partir da tarde, passa a chover com moderada intensidade.

“Já para a região metropolitana de Salvador, restante do território baiano e sertão Nordestino, na primeira parte do dia as chuvas ocorrem de forma isolada e a partir da tarde ganham intensidade, levando potencial para transtornos como alagamento, inundações e deslizamentos. O mesmo comportamento é esperado para à metade norte de Goiás e os estados do Tocantins e do Pará”, acrescenta Robles.

SUL E SUDESTE

Para as regiões Sul e Sudeste, aponta a Meteored, a atuação de uma massa de ar frio no oceano contribui para a circulação de ventos sul/sudeste, que transportam o ar mais frio até o sul de Minas Gerais e o Espírito Santo e também umidade para toda a faixa leste, deixando o tempo nublado e ligeiramente frio desde o sul do Rio Grande do Sul até o estado capixaba. Há possibilidade de chuva fraca ao longo do dia.

“Na Região Sul e estado de São Paulo, caminhando para o interior a nebulosidade diminui até um céu com poucas nuvens nas áreas mais do oeste. Na região do Triângulo Mineiro, metade sul do Mato Grosso e em todo o Mato Grosso do Sul, o tempo firme predomina.No domingo (22), sem grandes novidades quanto ao padrão. A condição é bastante semelhante ao do dia anterior, com tempo firme no Centro-Sul e instável na porção norte do país”, complementa o meteorologista Tiago Robles.

A nebulosidade, aponta ele, diminui um pouco no leste da Região Sul e do litoral sul de São Paulo: “No entanto, o sol aparece mais pela manhã e a partir do meio da tarde há possibilidade de chuvas fraca. No Rio de Janeiro e litoral norte paulista, tempo nublado e com chuva fraca alternando com períodos de melhoria. As temperaturas continuam mais baixas pela manhã e a partir do fim do dia, com sensação amena ao longo do dia”.

“Para o Norte e Nordeste, o destaque fica para a diminuição da intensidade das chuvas, com chuva moderada pela manhã no sul da Bahia e pancadas isoladas no oeste do estado, no Tocantins, Pará e no centro-sul dos estados do Maranhão e do Piauí. A partir do meio da tarde, chuvas mais abrangentes e intensas atingem essas mesmas áreas, com exceção do sul baiano, onde o tempo fica mais estável”, conclui.

Fonte: Agrolink

Categorias
Meteorologia

Previsão do tempo: veja onde volta a esquentar neste início de semana

Após uma intensa onda de frio atingir várias partes do Brasil, as temperaturas começam a subir gradativamente

Geada
Foto: Mycchel Legnaghi / São Joaquim Onlin

Segunda-feira, 24

Sul

Na segunda-feira, o tempo fica completamente firme no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e na maior parte do Paraná, com exceção do litoral paranaense. Isso acontece porque tem uma região de alta pressão atmosférica no Oceano, que joga ainda umidade para a costa do Paraná. Além disso, destaque para a subida das temperaturas tanto pela manhã quanto à tarde, com a intensificação dos ventos que sopram do quadrante norte, gerando sensação térmica mais agradável.

Em grande parte da região Sul, ainda tem rajadas de vento entre 40 e 50km/h. Previsão de nevoeiro nas primeiras horas do dia no leste do Rio Grande do Sul e da capital de SC até o leste do Paraná.

Sudeste

O dia tem gradativo aumento das temperaturas, em comparação com o dia anterior em todo o Sudeste, com exceção dos pontos mais altos de Serra, onde o tempo mais aberto da madrugada favorece rápido declínio das temperaturas da manhã. No entanto, a sensação de frio continua, na maior parte do estado paulista, do Rio, centro-sul-leste de Minas e no sul do Espírito Santo. No entanto, a chuva se afasta cada vez mais e passa ser mais fraca e pontual no litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Grande parte de São Paulo já tem aberturas de sol e breve elevação dos termômetros, sobretudo à tarde, mas como mencionado anteriormente, a sensação de frio continua. Porém, com a presença de um sistema de baixa pressão atmosférica na costa entre Sudeste e Nordeste, tem previsão de chuva volumosa para o Espírito Santo e rajadas de vento de mais de 70 km/h, assim como é esperado no norte do Rio de Janeiro. Por fim, tem previsão de nevoeiro novamente, nas primeiras horas do dia, de Registro, no estado de São Paulo à Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Centro-Oeste

Uma região de alta pressão atmosférica em médios e altos níveis da troposfera sobre o Centro-Oeste mantém o tempo firme na Região. O sistema inibe a formação de nuvens carregadas e garante sol em boa parte do dia. Com os ventos soprando do quadrante norte, as temperaturas se elevam bastante à tarde e a umidade relativa do ar cai para valores abaixo dos níveis críticos, em especial do norte do Mato Grosso do Sul à Goiás e Mato Grosso.

Nordeste

A chuva volta a ser mais expressiva no sul à costa baiana, até mesmo na Região Metropolitana de Salvador. Isso acontece por causa de uma área de baixa pressão atmosférica entre a costa norte do Rio de Janeiro, Espírito Santo e sul da Bahia, conhecida como ciclone subtropical, além dos ventos que sopram em altitude. Há previsão de rajadas de vento de mais de 70 km/h no litoral da Bahia. Interior da região sem mudanças no tempo, muito quente e seco. Demais capitais da faixa leste e no oeste e norte do Maranhão com pancadas pontuais de chuva, intercaladas com períodos de sol e termômetros agradáveis.

Norte

Dia de tempo seco predominando sobre grande parte da Região Norte do Brasil, que vai do Acre até Tocantins. Com índices muito baixos de umidade do ar previstos do sul do Acre e do Amazonas até o sul de Tocantins. Nessas áreas faz calor à tarde, até nos estados de Rondônia e Acre, em que sentiram a friagem nos últimos dias, onde a massa de ar de origem polar chegou por lá, e a tarde esquenta também nas localidades em que deve chover. Aliás, a chuva é forte e com trovoadas nos estados de Roraima, norte do Amazonas, Amapá e também no norte e centro do Pará.

Terça-feira, 25

Sul

O tempo segue firme na maior parte da região Sul. Vai desde o sul gaúcho até o norte do Paraná. A umidade que vem do mar ainda traz chuva fraca no final do dia no litoral paranaense.

Destaque para o início do dia com nevoeiro desde o nordeste de Santa Catarina, pegando a sua capital, e o centro leste do Paraná, incluindo Curitiba, por conta das baixas temperaturas e da alta umidade. As temperaturas sobem um pouco mais com relação aos dias anteriores, mas a sensação de frio ainda segue pela madrugada e manhã. Atenção para os ventos fortes que chegam aos 80 km/h nos litorais gaúchos e catarinenses.

Sudeste

Na terça-feira, uma área de baixa pressão atmosférica ainda atua na costa do litoral do Espírito Santo, assim como no litoral norte do Rio de Janeiro, com isso tem risco para pancadas de chuva no decorrer do dia, mas é no final que fica mais forte. Atenção as rajadas de vento de mais 80 km/h previstas nessas áreas, assim como em todo o Espírito Santo

No litoral paulista e em grande parte do Rio de Janeiro, ainda chove, só que de maneira mais fraca, ao longo do dia e intercalada por períodos de melhoria. As temperaturas mínimas do dia seguem baixas, e a madrugada fica mais fria do sul ao centro de Minas Gerais. E à tarde as temperaturas se elevam em comparação com os dias anteriores. Mesmo assim, a sensação de frio continua, de Registro, no estado de São Paulo ao Rio de Janeiro, passando pelo sul e leste mineiro. Por fim, tem previsão de nevoeiro novamente, nas primeiras horas do dia, de Registro, no estado de São Paulo à Região Metropolitana de São Paulo, passando pelo litoral sul paulista.

Centro-Oeste

Terça-feira com previsão de tempo firme mais uma vez em toda a Região Sul. Ainda por conta da área de alta pressão atmosférica em níveis médios da atmosfera. Assim, com o sol predominando, volta a esquentar à tarde mais do que nos dias anteriores, além disso, no mesmo período, a umidade do ar volta a cair, e ficar bem abaixo dos 30%, o que é prejudicial à saúde e ajuda nas ocorrências de novos focos de queimadas. E a região mais seca é entre Mato Grosso e Goiás.

Nordeste

Terça-feira com previsão de chuva em toda a costa leste do Nordeste e no norte do Maranhão. As pancadas são mais isoladas no norte maranhense, por conta da umidade que vem do mar e de instabilidades que se formam associadas ao calor e dos ventos em altos níveis, e de maneira mais forte entre Sergipe e o leste de Pernambuco, nessas áreas tem influência de um cavado na região (que é causado pela ondulações atmosféricas, neste caso, acima dos 10 km de altura, onde relativamente há uma região alongada de uma relativa baixa pressão), além da área da baixa pressão atmosférica, que também ajuda diretamente na chuva do litoral baiano. O norte do Ceará ao oeste baiano, o tempo segue firme, com elevadas e baixa umidade do ar. Atenção mais uma vez as rajadas de vento, de mais de 80km/h no leste e sul da Bahia.

Norte

Terça-feira com previsão de pancadas de chuva no norte do Amazonas, em Roraima, Amapá e norte do Pará. Essas instabilidades são de maneira forte, ao longo do dia e acompanhadas por descargas elétricas. Do oeste do Acre até Tocantins, o tempo segue seco e ensolarado, com baixos índices de umidade do ar, o que aumenta os riscos para formação de focos de queimadas.

Por Canal Rural

Categorias
Meteorologia

Soja Brasil: inverno chega neste fim de semana e boa parte do país terá tempo seco

As temperaturas, no entanto, seguem elevadas durante as tardes e risco para queimadas aumenta, principalmente no Centro-Oeste

O sábado deve marcar o fim do outono no Brasil. Segundo a Somar Meteorologia, o inverno no Hemisfério Sul inicia às 18h44 (horário de Brasília). Mas se engana quem pensa que ele traz consigo o frio. Boa parte dos estados não terão chuvas, como é comum nesta época, mas as temperaturas seguem elevadas na parte da tarde, aumentando, inclusive o risco de queimadas. Confira abaixo a previsão do tempo completa! As informações e mapas meteorológicos são da Somar Meteorologia e do Inmet.

SUL

A previsão de que as chuvas se afastariam e dariam uma rápida trégua ao Rio Grande do Sul não se confirmou e a parte leste do estado receberá garoas nesta sexta-feira, com volumes inferiores a 2 mm. As demais regiões do estado, assim como Santa Catarina e Paraná terão tempo seco.

No sábado, as chuvas se mantém sobre a região sul do Rio Grande do Sul, novamente com baixos acumulados de no máximo 2 mm. Nada muda para o restante dos gaúchos, Catarinenses e paranaenses, ou seja, o tempo seco permanece.

No domingo a previsão se repete, garoas leves no sul do Rio Grande do Sul, e tempo seco nas demais regiões e estados.

SUDESTE

A previsão de chuvas para o nordeste de Minas Gerais se confirmou e a cidade de Almenara pode registrar acumulados de até 18 mm. Enquanto o restante do estado e São Paulo terão tempo firme nesta sexta-feira.

No sábado, o tempo firme se espalha e já não há previsão de chuvas para as áreas agrícolas do Sudeste. Segundo a Somar Meteorologia, nas primeiras horas do dia há potencial para a ocorrência de nevoeiro no Vale do Paraíba e Sul de Minas Gerais. Depois de uma manhã com temperaturas mais baixas, faz até calor no período da tarde e a umidade relativa diminui.

O tempo seco também dará o tom para o domingo em São Paulo e Minas Gerais.

CENTRO-OESTE

A sexta-feira será marcada por mais um dia com predomínio de bastante sol e tempo firme sobre todo o Centro-Oeste do Brasil. Um bloqueio atmosférico atua sobre o Oceano Pacífico, e consegue influenciar nas condições de tempo no país, impedindo que intensos sistemas frontais avancem em direção ao Brasil Central, e consequentemente dificultando a formação de nuvens de chuva sobre a região. Com o tempo seco, atenção sempre redobrada aos baixos índices de umidade relativa do ar, especialmente nas horas mais quentes do dia.

No sábado, o inverno começa e ainda sim, o calor da tarde segue predominando sobre todo o Centro-Oeste do Brasil neste sábado. Sob influência de uma massa de ar mais seco, o final de semana começa com predomínio de sol e sem previsão de chuva. Instabilidades em níveis altos da atmosfera favorecem o aumento de nebulosidade, mas sem o suporte de mais ‘ingredientes’, não são capazes de causar chuva. Diversos municípios da região já ultrapassam 20 dias consecutivos sem chuva expressiva, ou seja, acima de 10 mm.

No domingo, a nebulosidade tende a aumentar um pouco mais, especialmente entre Goiás e leste de Mato Grosso do Sul, mesmo assim, sem umidade e sistemas bem formados atuando, a condição para chuva é nula. O tempo firme predomina ao longo do dia, e com maior cobertura de nuvens no céu, os níveis de umidade relativa do ar também tendem a ser ligeiramente maiores.

NORDESTE

A sexta-feira deve ser marcada por tempo firme em todas as áreas agrícolas da Bahia, Piauí e Maranhão. Com as temperaturas elevadas, a atenção se volta aos baixos níveis de umidade relativa do ar, especialmente durante a tarde.

No sábado o oeste da Bahia segue com tempo seco, mas o norte do Piauí e Maranhão podem receber algumas garoas, com menos de 2 mm acumulados.

O domingo promete ser de tempo seco para as áreas agrícolas da Bahia, Piauí e boa parte do Maranhão, exceto no Noroeste do estado, que pode registrar algumas garoas.

NORTE

Na sexta-feira, chuva forte e generalizada ainda é esperada para Roraima e o norte do Amazonas, por conta da combinação de calor e umidade. Também chove no norte do Pará e Amapá. Segue a condição para formação de nevoeiros entre Acre, Rondônia e sul amazonense. No Tocantins, atenção com ventos moderados e baixos índices de umidade relativa do ar, o que favorece o alastramento de queimadas.

No sábado, nada muda na região Norte. O dia começa com previsão para nevoeiro entre Rondônia, Acre e Amazonas, mas que logo se dissipam, dando lugar ao sol. Já entre o norte dos estados do Amazonas e Pará, Roraima e Amapá, a chuva ocorre ainda de forma volumosa, especialmente devido à combinação entre calor e umidade. Nas demais áreas da região Norte, o tempo firme e seco predomina, e a atenção se volta aos baixos níveis de umidade relativa do ar nas horas mais quentes do dia, principalmente entre o sul do Pará e o Tocantins.

No domingo, nada muda sobre a região Norte do Brasil. O destaque fica para a chuva mais volumosa esperada entre o norte do Pará e Amapá, inclusive em ambas as capitais. Chove também entre Roraima, grande parte do Amazonas e oeste do Acre, mas de forma pouco volumosa. Já nas demais regiões e estados, o sol brilha forte, e o tempo firme predomina.

Por: canalrural

Categorias
Meteorologia

O que esperar do clima em maio de 2020

Abril de 2020 está dando chuva excesso e também seca ao Brasil. A falta de chuva afeta duramente o Sul do Brasil e reforça o grave quadro de seca que a Região vem enfrentando desde o início do ano. Centenas de municípios gaúchos estão em situação de emergência por causa da seca. A cidade de  São Paulo está tendo o segundo abril mais seco em 13 anos.

A chuva excessiva é observada em muitas áreas do Nordeste e em parte da Região Norte. O reservatório de Sobradinho finalmente se recuperou e no dia 24 de abril de 2020, o armazenamento era de quase 90%.

Estamos terminando um abril muito especial. O mundo acompanha a expansão planetária da covid-19 que já era confirmada em mais de 2 milhões e 700 mil pessoas, até 2 horas madrugada do dia 24 de abril, hora de verão da Europa Central, 21 horas do dia 23 de abril, pelo horário de Brasília.

Vem aí o mês de maio que, climatologicamente, é considerado o início do período seco, pois é um mês de grande redução da chuva na maioria das áreas do Brasil.

É em maio também que normalmente temos a entrada das primeiras grandes e fortes massas de ar frio de origem polar, com potencial para esfriar o Brasil de sul a norte.

A situação meteorológica de maio normalmente é desfavorável para quem tem problemas respiratórios e poderá ser um fator complicador para o monitoramento da covid-19 em várias regiões do país.

Este maior resfriamento do ar e o aumento do número de dias secos levam a um aumento de casos de problemas respiratórios e também ao agravamento de doenças crônicas respiratóriasProblemas cardiovasculares também são aumentados no outono/inverno.

Então, o que esperar da chuva e da temperatura de maio de 2020 no Brasil? O Sul do país terá um pouco de chuva? As ondas de frio serão fortes e prolongadas? O nosso inverno vai trazer frio ou chuva acima do normal ou na média?

A forte retração da economia por causa da covid-19 impactou o consumo de energia. Os reservatórios para sustentação de consumo e de energia estão em boa situação para aguentar o outono/inverno?

Na agricultura, uma grande preocupação em maio ainda é a situação da Região Sul por causa da seca. Mas maio traz importantes colheitas que podem sofrer danos ou atraso dependendo do clima do decorrer deste outono.

Fonte: Terra

 

Categorias
Meteorologia

Primavera deve ser seca e quente

Estação começou, oficialmente, hoje em todo Hemisfério Sul

A primavera é uma estação aguardada por muitos já que é quando o frio costuma diminuir e em alguns Estados há o retorno das chuvas, amenizando o tempo seco.  A entrada da estação foi  às 4h50min desta segunda-feira. A expectativa de meteorologistas é que seja de calor acima da média e chuvas irregulares e em menor volume que no ano passado.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) aponta que as precipitações deverão começar um pouco mais tarde, em outubro. “Grande parte do Brasil tem plantio nessa época do ano, em outubro, quando as chuvas começam a se fixar”, disse o chefe da previsão do tempo do Inmet, Francisco de Assis.

 

Veja as projeções para todas as regiões do país:

Norte

A previsão para a Região Norte é que, em Roraima, Amapá, nordeste do Amazonas e meio norte do Pará as chuvas ocorram próximas ou abaixo da média para o período. Já na parte centro-sul do Amazonas, sudoeste do Pará e no Acre e Rondônia, haverá possibilidade de chuvas acima da média durante os meses de outubro a dezembro. As temperaturas serão de normal a acima da média.

A região apresentou bastante irregularidade nas chuvas entre junho a agosto. A redução das chuvas em localidades dos estados de Rondônia, Tocantins e sul do Pará e as altas temperaturas e baixa umidade relativa do ar, favoreceram a incidência de queimadas, muito comuns nesta época do ano. Alguns episódios de friagem também foram registrados neste período e atingiram o Acre, Rondônia e sul do Amazonas.

Nordeste

A previsão para a primavera indica maior probabilidade de chuvas perto da média na parte leste do Nordeste. Nas demais áreas, haverá o predomínio de chuvas ligeiramente abaixo da média. Ressalta-se que o trimestre de outubro a dezembro é o mais seco da parte leste do Nordeste. As temperaturas estarão mais elevadas sobre todo o Nordeste, principalmente na região sul do Maranhão e do Piauí.

Durante os meses de inverno, as chuvas registradas foram próximas ou abaixo da média em grande parte da região.
Em lugares como João Pessoa, na Paraíba, onde geralmente chove em torno de 790 milímetros (mm) entre os meses de junho a agosto, choveu 670 mm somente em junho. As chuvas amenizaram as temperaturas nesta região, principalmente no sudeste da Bahia, onde a média das máximas em agosto ficou entre 24 ºC e 26 ºC.

Centro-Oeste

A previsão para o Centro-Oeste indica alta probabilidade de chuvas de normal a acima de normal em grande parte da região, exceto na metade norte do Goiás, onde as chuvas serão ligeiramente abaixo da média climatológica.
As temperaturas serão acima da média, principalmente no sul do Mato Grosso do Sul, norte de Mato Grosso e Distrito Federal.

Municípios de Mato Grosso e Goiás ficaram mais de 100 dias consecutivos sem chuva, a partir de maio deste ano.
Nestas mesmas áreas, as temperaturas médias foram acima do normal climatológico, em razão da permanência de massas de ar seco e quente, as quais favoreceram a ocorrência de queimadas e incêndios florestais.

Em alguns dias entre junho e setembro, a umidade relativa do ar apresentou valores abaixo de 20% nos horários com temperaturas mais elevadas, como ocorrido no Distrito Federal, em que a estação meteorológica do Inmet, no Gama (DF), registrou 8% de umidade relativa do ar no dia 4 de setembro.

Sudeste

Na Região Sudeste, a previsão é que as chuvas sejam ligeiramente abaixo da faixa normal, exceto no estado de São Paulo, sul de Minas Gerais e Rio de Janeiro, onde podem ocorrer chuvas mais fortes, principalmente em novembro. As temperaturas devem permanecer acima da média em grande parte do Sudeste.

A precipitação de chuvas no inverno seguiu características típicas para o período, com baixa ou total ausência de precipitação, com exceção do leste de São Paulo e Rio de Janeiro, onde as chuvas foram entre 20 e 70 mm acima da média.

As temperaturas médias foram de normal a ligeiramente acima da média em grande parte da região. Foram registrados nos estados de São Paulo e Minas Gerais alguns poucos episódios de geadas somente no início de julho, com intensidade variando de fraca a moderada.

Sul

Na primavera, ainda de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia, as chuvas devem permanecer ligeiramente acima da faixa normal nos três estados da região Sul. Já as temperaturas médias devem predominar dentro da normalidade na parte oeste da região e acima da média no restante.

Durante o inverno, os maiores volumes de chuva estiveram localizados sobre a metade sul do Rio Grande do Sul. Durante os primeiros dias de junho, deu-se o início da temporada de temperaturas mais baixas, entretanto, as temperaturas abaixo de zero só ocorreram em julho e agosto.

Em áreas de serra e planalto da Região Sul do país, houve formação de geadas com intensidade variando de moderada a forte. Durante a primeira semana de julho e também de agosto, houve registro de neve na região serrana do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Fonte: Agrolink

Categorias
Meteorologia

Confira a previsão do tempo para esta segunda-feira (22) para todas as regiões do Brasil

Confira a previsão do tempo para esta segunda-feira (22) para todas as regiões do Brasil

Meteorologia – Previsão do tempo para todo o Brasil

Confira a previsão do tempo para esta segunda-feira (22) para todas as regiões do Brasil.
Informações da Climatempo:

Sul

Áreas de instabilidade se espalham pelo Sul e pode chover a qualquer hora no extremo norte do RS, em SC e no PR, ainda com risco de chuva forte. O tempo começa a abrir aos poucos nas demais áreas do RS e as temperaturas diminuem.

Sudeste

Uma frente fria chega ao litoral, mas bem afastada da costa. O céu fica com muitas nuvens e pode chover desde cedo no oeste e sul paulista. Há previsão de chuva a partir da tarde nas demais áreas de SP, no RJ e no centro-oeste e sul de MG.

Centro-Oeste

Muitas nuvens carregadas se espalham e pode chover a qualquer hora, com risco de chuva forte no sul de MS. Faz sol e calor, com previsão de pancadas de chuva entre à tarde e a noite no centro-norte de MS, em MT, GO e no DF.

Nordeste

Segunda-feira de tempo instável, com muita nebulosidade e chuva a qualquer hora, que pode ser forte, no MA, litoral do PI, CE, RN, PB e PE. Faz sol e ocorrem rápidas pancadas de chuva nas demais áreas. O tempo permanece seco no centro-sul da BA.

Norte

Nuvens carregadas se espalham e provocam chuva a qualquer hora no AP e no centro norte do PA. Nas demais áreas da Região, o sol aparece forte, faz calor e ocorrem pancadas de chuva com raios a partir da tarde.

Fonte: NoticiaAgricolas

Categorias
Meteorologia

Confira a previsão do tempo para esta segunda-feira (08) para todas as regiões do Brasil

Confira a previsão do tempo para esta segunda-feira (08) para todas as regiões do Brasil.
Informações da Climatempo:

Sul

O ar frio de origem polar ainda influencia o tempo e mantém as temperaturas amenas, com algumas aberturas de sol no RS, no oeste de SC e do PR. O tempo fica instável e pode chover a qualquer hora nas demais áreas do PR e de SC, podendo ser forte.

Sudeste

A instabilidade persiste sobre SP e chove várias vezes nesta segunda-feira. O alerta é para chuva forte no litoral do estado. O sol aparece forte com aumento das nuvens e há previsão de pancadas de chuva com raios no RJ, MG e no ES.

Centro-Oeste

O ar frio de origem polar influencia o Pantanal de MT e quase todo MS, onde as temperaturas ficam amenas e acontecem aberturas de sol. Na divisa de MS com SP chove a qualquer hora e nas demais áreas ocorrem pancadas de chuva a partir da tarde.

Nordeste

A instabilidade enfraquece um pouco e quase toda a Região tem períodos de sol e pancadas de chuva com raios somente a partir da tarde. No litoral norte, entre o MA, PI e CE, o tempo continua instável com muitas nuvens e várias pancadas de chuva.

Norte

O ar fica seco e o sol predomina no AC e RO. As temperaturas entram em elevação à tarde. Já em RR, norte do AM, norte do PA e no AP, o tempo fica mais instável com chuva a qualquer hora. Nas demais áreas chove a partir da tarde.

Post: NoticiasAgricolas

 

Categorias
Meteorologia

Semana será marcada por muitas chuvas nas áreas de soja

No Sul do país, por exemplo, a segunda-feira promete ser um pouco mais seca, mas as precipitações ganham força e, na quinta, há risco para temporais

Segundo os mapas da Somar Meteorologia, a semana até começa mais seca em alguns estados, mas esta condição mudará rapidamente. A tendência é de que os volumes de chuvas irão aumentando gradativamente em todo o país, e na quinta alguns municípios já devem registrar temporais. As temperaturas gerais começam a semana mais elevadas e vão caindo com o passar dos dias.

SUL

A semana começa com a previsão de pouca ou nenhuma chuva sobre a região Sul. Alguns municípios do Rio Grande do Sul tem a perspectiva de receber no máximo 7 milímetros acumulados nesta segunda-feira, dia 1 de abril. Durante os próximos dias o volume de precipitações irá aumentar gradativamente até superar os 25 milímetros na quinta-feira. No Paraná a semana começa seca, mas a partir desta terça-feira, as chuvas serão mais volumosas, acima de 18 mm em algumas localidades. Na quinta o estado pode enfrentar temporais. O mesmo acontece com Santa Catarina.

http://picasion.com/

SUDESTE

Na região Sudeste a situação é parecida com o Sul. A semana começa com tempo firme em quase toda a região, mas ao longo da semana o volume de precipitações vai aumentando. Lá pela quarta-feira, dia 4, por exemplo, alguns municípios de São Paulo devem registrar até 15 milímetros acumulados, enquanto em Minas Gerais os mais de 26 mm podem trazer temporais.

http://picasion.com/

CENTRO-OESTE

O tempo seco que vinha se espalhando pela região começa a dar espaço para a chegada de novas precipitações. Segundo os mapas meteorológicos, boa parte de Mato Grosso registrará chuvas recorrentes desde esta segunda. O mesmo se repete em Mato Grosso do Sul e Goiás, perdurando até pelo menos o fim de semana.

http://picasion.com/

NORDESTE

No Nordeste as precipitações não dão trégua e há chance para temporais no Maranhão e Piauí. Na Bahia alguns municípios mais centrais não devem ter chuvas. Mas conforme a semana avança, as chuvas se espalham e ganham força. Alerta para os produtores de soja do Maranhão e Piauí, pois os volumes acumulados serão maiores no final da semana.

http://picasion.com/

NORTE

Outra região que segue com muitas chuvas espalhadas e generalizadas. Com o passar da semana os volumes de precipitações tendem a aumentar bastante e risco de temporais não são descartados no Pará, Rondônia e Tocantins.

http://picasion.com/

Reposte: CanalRural

Categorias
Meteorologia

Confira a previsão do tempo para este fim de semana

Fortes chuvas atingem praticamente todo o país durante o sábado; no domingo o risco de descargas elétricas aumenta na região Sul

Sábado, dia 16

Sul 

O primeiro dia do fim de semana começa com  mudanças no tempo em grande parte da região. A formação de duas regiões de baixa pressão atmosférica entre o norte da Argentina e Paraguai levam umidade e garantem pancadas de chuva  entre o oeste gaúcho até o norte do Paraná, com chance de acumulados elevados.

Entre o litoral norte de Santa Catarina até litoral do Paraná, o dia seguirá encoberto e com chuva a qualquer momento, com temperaturas amenas.

Sudeste 

No sábado, a frente fria e as áreas de baixa pressão seguem atuando pela costa do Sudeste.
Há risco para pancadas de chuva na maior parte da região.  Entre o leste paulista e sul do Rio de Janeiro as temperaturas diminuem ao longo da tarde em comparação com o dia anterior.
Já entre sul, norte paulista e o sul mineiro são esperados elevados volumes de água e potencial para temporais no final do dia.

Centro-Oeste 

O dia começa começa com sol entre nuvens em todo o Centro-Oeste, favorecendo a elevação das temperaturas e garantindo mais um dia de calor.

Entre a tarde e à noite, são esperadas pancadas de chuva com trovoadas. Apenas no sul do Mato Grosso do Sul, fortes ventos em altitude garantem pancadas de chuva com grande acumulados de água.

Nordeste 

Dia com tempo seco entre a faixa leste da Bahia até o interior da Paraíba, devido a atuação da massa de ar seco.

Já entre as faixas oeste e norte a chuva ainda persiste intercalada com períodos de sol. Os volumes de chuva seguem elevados entre Maranhão e Piauí.

Norte 

O dia começa com pancadas de chuva acompanhada de trovoadas especialmente entre Pará, Tocantins e Amazonas, onde são esperados acumulados de até 30mm.

Nas demais áreas da região, a chuva é mais fraca, com menor volume e de forma mal distribuída. O calor segue predominando em todos os estados.

Domingo, dia 17 

Sul 

Domingo de chuva em toda a região sul, devido aos ventos em altos níveis da atmosfera e uma região de baixa pressão atmosférica no Uruguai.

O tempo fica fechado e pode ocorrer pancadas de chuva a qualquer momento do dia entre o oeste do Rio Grande do Sul até o oeste do Paraná.

A forte chuva também atinge as demais regiões com possibilidade de descargas elétricas.

Sudeste 

O tempo segue com instabilidade em quase toda a região, e chuva mais
forte fica concentrada entre norte paulista, sul e leste de Minas Gerais e Rio de Janeiro, com volumes mais expressivos.

Nas demais áreas, pancadas de chuva seguem intercaladas com períodos de melhoria. As temperaturas ficam amenas nas cidades litorâneas paulistas e
fluminenses, devido ao risco de chuva e ao aumento de nebulosidade.

Centro-oeste 

A chuva ganha força na região, devido a combinação de calor e umidade. Os maiores volumes acontecem no norte do Mato Grosso.

No restante do centro do país, o dia será marcada por períodos de sol entre a manhã e à tarde, e pancadas de chuva isoladas no final do dia.

Nordeste 

Tempo quente predominantemente entre Bahia e Sergipe, enquanto o tempo segue instável nas demais áreas nordestinas.
Há risco para chuva volumosa entre Maranhão e Ceará mais uma vez, devido a atuação da Zona de Convergência Intertropical.

Norte 

O dia começa com  tempo instável em todo a região devido a instabilidades tropicais. As pancadas de chuva mais fortes acontecem entre Rondônia, amazonas, Pará e Tocantins, onde há risco para elevado volume de água.

Fonte: Cana Rural

Categorias
Meteorologia

Seguem chances de El Niño com perspectiva de chuvas volumosas no Centro-Sul e preocupações com Matopiba

Os principais institutos meteorológicos do mundo acompanham a evolução do El Niño. Nesta terça-feira (04), o serviço australiano de meteorologia divulgou que suas previsões estão em nível de alerta para o fenômeno, com chances de 70% de ocorrência nos próximos meses. A possibilidade do evento climático influenciaria as chuvas no Brasil.

“As temperaturas no Oceano Pacífico tropical permanecem acima dos limites do El Niño. Os ventos alísios enfraqueceram na última quinzena, levando a um aquecimento adicional no Oceano Pacífico tropical, mas coletivamente, a atmosfera ainda não mostrou um sinal consistente de El Niño”, informou o serviço australiano.

Enquanto isso, o Centro de Previsão Climática do NOAA (Administração Oceânica e Atmosférica Nacional) dos Estados Unidos informou no mês passado que as chances de ocorrência do fenômeno estavam em 80% nos próximos meses, com uma condição de baixa intensidade. O período seria referente ao inverno no hemisfério Norte e verão no Hemisfério Sul.

“A previsão oficial aponta a formação de um El Niño fraco, com a expectativa de que a circulação atmosférica acabe por unir com o anômalo calor equatorial do Pacífico”, disse o Centro em sua previsão mensal para o El Niño. Para a primavera do próximo ano no hemisfério Norte, há chance de 55% a 60% de El Niño se formar.

Anomalias médias da temperatura da superfície do mar (TSM) (°C) nas últimas semanas – Fonte: The Climate Prediction Center/NOAA

De acordo com Luiz Renato Lazinski, meteorologista do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), em entrevista para o Sistema FAEP, a intensificação do fenômeno climático pode impactar o tempo em quase todo o Brasil. “A chuva não deve faltar. Podemos ter problemas com excessos, mas não com falta no Centro-Sul do Brasil”, disse o especialista.

“O El Niño significa chuvas mais abundantes, chuvas melhor distribuídas e temperaturas mais amenas. Se depender do clima, vamos ter mais uma safra muito boa porque o clima deve colaborar”, complementou o meteorologista do instituto oficial de meteorologia do país. A safra de verão de grãos do Brasil está em pleno desenvolvimento.

Em entrevista ao Notícias Agrícolas, Anderson Galvão, da Céleres Consultoria, disse que apesar da condição de chuvas volumosas pelo país neste final de 2018, uma condição mais úmida pode retornar em áreas produtoras do Brasil no início de 2019.

“O histórico de El Niño, não só da Austrália, mas de outros institutos, se começa a temporada com chuvas abundantes, mas em algum momento a partir de janeiro a chuva costuma cortar no Mapitoba”, afirma Galvão. “Isso traz uma preocupação porque essa região sofreu bastante com a estiagem”, complementa.

Veja o mapa com previsão de anomalias de precipitação nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro em todo o Brasil:

Fonte: Inmet

Segundo o mapa de previsão de anomalias da precipitação do Inmet, no período de dezembro de 2018 a fevereiro de 2019, chuvas volumosas são previstas em áreas da faixa central do Brasil. Porém, uma condição de menores volumes é prevista para quase toda a região Sul.

O El Niño é caracterizado pelo aquecimento das águas da superfície do oceano pacífico. No mapa divulgado pelo Centro, é possível ver esse aquecimento sazonal nas águas da superfície do mar em grande parte do Pacífico equatorial.

De acordo com a Reuters internacional, o último aquecimento na temperatura da superfície oceânica no Leste e Centro do Pacífico, evento que ocorre a cada poucos anos, aconteceu entre 2015 e 2016 e causou danos às lavouras, incêndios e inundações repentinas pelo mundo.

Por: Jhonatas Simião