Esteja atento à etapa de nascimento para garantir qualidade de rebanho

Com cuidados e equipamentos adequados disponíveis na propriedade auxiliam na manutenção de baixas taxas de mortalidade de bezerros.
Esteja atento à etapa de nascimento para garantir qualidade de rebanho

As bezerras e bezerros são o ápice da genética de qualquer propriedade. Garantir sua boa saúde, desde os primeiros minutos de vida, é fundamental para que o animal inicie bem sua vida produtiva (seja de leite ou de corte). Para isso, é importante que estejam asseguradas baixas taxas de mortalidade e morbidade.

Portanto, a atenção deve ser desde o pré-parto, quando é pensado na alimentação, bem-estar e calendário de vacinação das mães, como também, durante o manejo de nascimento com calma e agilidade. Após o nascimento do bezerro é essencial uma atenção especial a sua saúde, principalmente em seus primeiros 60 dias de vida. O desenvolvimento das futuras vacas ou touros, depende essencialmente dessas etapas. Vamos falar sobre cada uma delas?

1. Parto

O cuidado com os bezerros recém-nascidos precisa começar antes do nascimento, no momento pré-parto. As vacas devem ter suas ‘maternidades’, locais separados dos demais animais, limpo, seco e com sombreamento.

A fazenda também deve estar preparada com equipamentos adequados para auxiliar a vaca, no parto, se necessário. Caso tenha problema para parir o bezerro, existe no mercado o fórceps bovino, cuja função é facilitar a retirada do animal com rapidez e agilidade, sem machucá-lo.

Com a colocação correta e ajuste na catraca do equipamento, o animal é retirado sem muito esforço físico de quem está fazendo o procedimento, e o mais importante, da forma correta (FOTO). Os equipamentos devem ser usados sempre com a supervisão de um médico veterinário.

2. Cura do umbigo

A cura de umbigo deve ser feita imediatamente após o nascimento do bezerro, fazendo a imersão do cordão umbilical no iodo durante 30 segundos. Esse procedimento deve ser feito 2 vezes por dia, até a secagem do umbigo, fazendo assim com que ele se desprenda do abdômen ao secar.

Uma cura mal feita do umbigo, resulta em animais fracos, podendo até levar a morte.

Se o bezerro tem contato com um local infectado e o umbigo mal curado, a fonte de infecção por essa via é muito grande, sendo assim, a bactéria pode alcançar rapidamente todo seu organismo através do umbigo.

3. Limpeza

Após garantir um local limpo e seco para a vaca e sua cria, é importante que seja feito um acompanhamento para garantir que a mãe faça a limpeza correta de todos os fluídos no recém-nascido. Esta limpeza vai garantir que o neonato consiga fazer a ingestão correta do colostro sem dificuldades.

Porém, se a mãe não conseguir fazer essa limpeza de um modo eficiente, a aspiração do líquido amniótico das vias aéreas do filhote deve ser feita manualmente, e o quanto antes, com equipamentos apropriados para esse processo, para isso existe o respirador para bezerros neonato que sugará toda essa secreção.

4. Ingestão do colostro

O colostro, que é o primeiro leite produzido pela vaca, possui um alto valor nutritivo, é rico em proteínas, lipídeos, vitaminas, minerais e enzimas. Ele deve ser o primeiro alimento a ser consumido pelo bezerro nas primeiras 12 horas de vida. A função é ajudar a aumentar os anticorpos que são essenciais para garantir a imunidade do bezerro recém-nascido.

A placenta dos bovinos protege o bezerro contra a maioria das infecções bacterianas ou virais, mas ao mesmo tempo, impede a passagem de proteínas séricas e principalmente imunoglobulinas. Por esse motivo, que ao nascer, o animal não apresenta imunidade adequada, tornando-o dependente da transferência passiva de imunoglobulinas maternas através do colostro.

Caso o bezerro não queira mamar nas primeiras horas de vida, é necessário a utilização de mamadeiras para alimentação forçada para aleitamento, elas devem estar disponíveis na fazenda e bem higienizadas, pois o leite é um ótimo meio de cultura de bactérias.

5. Vermifugação e vacina

Os bezerros devem ser vermifugados aos dois, quatro e seis meses de idade, com vacinadoras adequadas, de acordo com o calendário sanitário da propriedade. Em seguida, após a desmama devem entrar no programa de vermifugação estratégica e vacinação adotados na propriedade.

Com todos esses cuidados sanitários e com a utilização dos equipamentos adequados para tais procedimentos, com certeza a fazenda terá um rebanho de melhor qualidade.

Giana Hirose – Médica Veterinária e gerente nacional de vendas da Agrozootec.

Por: Portal do Agronegócio

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://ruralbook.com.br/rbrz1Bf

Mais Agronotícias