Manejo adequado das lavouras fortalece a bovinocultura leite

Os solos da região de Guarapuava, quando manejados adequadamente, têm um grande potencial produtivo. Além desse fato, novas cultivares e a adoção de tecnologias de manejo e cultivo têm melhorado ainda mais a produtividade das lavouras. A pecuária leiteira se beneficia dessas conquistas. Com a maior oferta de milho para o gado, os produtores da região têm conseguido aumentar a produtividade do seu rebanho. Os extensionistas do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná) têm colaborado com esses resultados por meio do Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho (PCSFM).

A maior parte da área de milho plantada pelos produtores que participam do PCSFM é transformada em silagem para o rebanho leiteiro. Nesta safra foram instaladas 28 Unidades de Referência do projeto na região de Guarapuava. O trabalho é feito em parceria com os produtores de doze municípios. As unidades, acompanhadas regularmente pelos técnicos, servem de modelo para que outros produtores adotem as tecnologias ali validadas.

Um exemplo desta ação extensionista é a propriedade de Carlos dos Santos, produtor de leite e morador da comunidade Santo Antão, em Reserva do Iguaçu. Ele participa do projeto e também contou com a orientação dos extensionistas do IDR-Paraná para fazer o manejo adequado das pastagens de inverno, aveia e azevém. O alimento é oferecido aos animais no sistema de pastejo e as plantas também produzem biomassa para cobertura do solo. Com base na análise do solo, o produtor foi orientado a corrigir a acidez e também a usar fertilizante formulado, mais adequado para a área que apresentava deficiência em fósforo. Os técnicos do IDR-Paraná ainda orientaram a regulagem da semeadora e acompanharam a semeadura que foi feita em nível, reduzindo a ocorrência de erosão do solo.

Os ganhos são notórios. Santos tem uma área de 11 hectares de pastagens e um hectare destinado ao cultivo de milho para silagem. O produtor consegue fornecer alimento para vinte vacas, das quais dez estão em lactação, além de oito bezerras. Antes de participar do projeto, o rebanho de Santos produzia 1.050 litros de leite por mês. Atualmente a produção chega a 2.929 litros mensais. Depois de colher o milho para a silagem, a mesma área é ocupada com feijão. Na última safra, Santos colheu 50 sacas, vendidas a R$ 260,00, o que rendeu R$13.000 ao produtor. Para Leandro Michalovicz, engenheiro agrônomo do IDR-Paraná de Reserva do Iguaçu, com a implantação da Unidade de Referência o agricultor teve a possibilidade de usar sementes de feijão e milho híbrido de alta tecnologia o que resultou em melhores resultados na produção de grãos. Além disso, Santos melhorou a qualidade da silagem, o que refletiu em um salto na produtividade do rebanho leiteiro.

Fonte:  IDR-Paraná
Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry
O URL curto deste artigo é: https://wp.me/p49eYW-6vl

Você pode gostar...