Saiba o passo a passo para cuidar do pasto como lavoura

Confira dicas para tratar as pastagens como uma cultura perene na fazenda.

A gramínea forrageira é uma cultura perene, mas precisa de cuidados para que o capim possa expressar essa longevidade e também se desenvolver adequadamente para oferecer ao gado uma nutrição de qualidade. “Tratar o pasto como lavoura é essencial para produção da forragem”, afirmou Edson Ciocchi, que é engenheiro agrônomo de campo para pastagem da Corteva Agriscience, em entrevista ao programa Pasto Extraordinário, que vai ao ar pelo Canal do Criador.

Sendo assim, Ciocchi apresentou um passo a passo para que os pecuaristas possam cuidar da fertilidade do solo e implementar as pastagens corretamente. “Pra nós tratarmos o capim como cultura devemos realizar um planejamento antes da implementação dessa pastagem. Nós devemos realizar a análise de solo de forma criteriosa”, instrui o agrônomo.

A análise de solo precisa ser feita de forma homogênea para obter uma boa representatividade do pasto. De acordo com Ciocchi, o ideal é a realização da coleta de pelo menos 20 amostras, de 0 a 20 cm, a cada 20 hectares. Esta análise é importante para calcular a quantidade de calagem necessária para corrigir o PH do solo e também de adubação, tanto de correção quanto de manutenção.

Outro aspecto fundamental nesta etapa de planejamento é a escolha da planta forrageira de acordo com o tipo de solo da propriedade. “Se eu tenho um solo arenoso de mais baixa fertilidade, devo escolher uma espécie menos exigente em fertilidade. Se eu tenho um solo mais argiloso e de maior fertilidade, posso escolher uma espécie que seja mais exigente em fertilidade com maior produtividade”, aconselha Edson Ciocchi.

A escolha das sementes também não deve ser negligenciada. “É essencial comprar sementes de qualidade, de empresas certificadas, livres de contaminação de plantas daninhas ou até mesmo de outros cultivares”, indica o engenheiro agrônomo.

Além da análise de solo, da escolha adequada da forrageira e da utilização de sementes de qualidade, outro ponto importante a ser observado é o momento de realizar a semeadura. De acordo com Edson, a melhor época são os meses de novembro e dezembro, por conta das chuvas.

Manejo do pasto

Por fim, para cuidar do pasto como lavoura, o agrônomo da Corteva Agriscience lembra que depois de estabelecida a pastagem, é importante equilibrar a quantidade de animais à capacidade de nutrição do pasto. “No manejo de pastagens nós temos sempre que ter o equilíbrio entre a produção da forrageira e a nossa pressão de pastejo. Ou seja, a quantidade de animais, peso vivo, por área a ser consumida”. Ele também orienta o produtor a avaliar o consumo de capim pela altura de entrada e saída da planta utilizando alguns exemplos. “Em brachiaria, geralmente, a gente entra [com a planta na altura] de 40 a 50 cm e sai de 20 a 25 cm. Desta maneira nós preservamos parte do sistema foliar da forrageira pra que no período de descanso ela possa produzir novamente a forragem a ser pastejada”, diz Ciocchi.

“Os nossos bois são as colheitadeiras que colhem o nosso capim, devemos direcionar pra fazer da melhor forma possível essa colheita”, avalia o engenheiro agrônomo, que complementa a afirmação dizendo ainda que seguir essas orientações também ajuda no controle de plantas invasoras. “Quando eu tenho um manejo de qualidade e um solo bem corrigido, a incidência de plantas daninhas nessa área será menor”, finaliza Edson Ciocchi.

 

Por: Canal do Criador

Foi útil a notícia? Seja o primeiro a comentar.
Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Mais Agronotícias