Categorias
Mercado pecuário

Indústrias grandes compram e se retraem, esfriando a @ do boi; as de menor porte conseguiram alongar um pouco as escalas

R$ 144,50 é a @ verificada pela Radar nesta quinta (15) em SP. Boi magro sem ágio, indicando que o confinamento de 1º giro não está no radar, inclusive pelo encarecimento da ração.
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=nGGJDrpEpxg]

Os pecuaristas estão segurando os animais no pasto, devido às condições climáticas que favorecem as pastagens. Com isso, as grandes indústrias tiveram dificuldade em formar lotes, na qual tinham que pagar a mais pela a arroba e assim, as referências oscilaram muito no mercado do boi.

Segundo o analista da Radar Investimentos, Douglas Coelho, os frigoríficos de menor porte conseguiram alongar as escalas de abate até o fim da próxima semana. “Desde começo do ano, as programações de abate encurtaram em torno de três dias úteis. E hoje, podemos ver uma elevação nas escalas em São Paulo e ficaram próximas de 3.7 dias e gera um conforto na aquisição de matéria prima”, ressalta.

Diante desse cenário, as cotações de queda do frango e do suíno estão dificultando a competitividade com a carne bovina no atacado. “Após a operação trapaça, houve uma mudança drástica no mercado dos granjeiros, em que os custos de produção subiram bastante”, destaca.

De acordo com o levantamento da Radar Investimentos, as referências para hoje (15) a arroba no estado de São Paulo está sendo cotada a R$ 144,50 a vista e livre de impostos. No caso do boi magro está sem ágio e as referências para os grãos estão elevados.

“É sempre importante o pecuarista e o produtor de grãos ficarem informados sobre o que está acontecendo no mercado, principalmente no futuro. E aproveitar a bolsa como uma ferramenta estratégica para travar uma parcela da produção”, finaliza.

Fonte: Noticias Agrícolas 

Categorias
Mercado pecuário

Mercado do boi gordo mantém fria a procura por reposição – Scot Consultoria

Fonte: Internet

A pressão baixista do mercado do boi gordo e a falta de expectativas por melhora ainda são os fatores determinantes para o desinteresse no mercado de reposição. 

Quando comparada com a semana passada, a média dos valores do mercado de reposição dos quatorze estados analisados não apresentou mudanças significativas. Porém, Mato Grosso se destacou com uma queda semanal de 1,7%.

O boi magro anelorado (12@), na média todas as praças pesquisadas, caiu 0,3% na comparação ao início do ano.

As incertezas continuam acompanhando as categorias mais jovens. Os bezerros anelorados apresentaram queda semanal de 0,5% em média, considerando todos os estados analisados, e queda de 1,4% desde o início do ano.

Em curto prazo, com as negociações de troca ganhando volume, é possível que os preços da reposição ganhem sustentação, após a considerável queda verificada principalmente a partir do segundo semestre do ano passado.

Por: Isabella Camargo

Fonte: Scot Consultoria

Banner rodapé fornecedor