Categorias
Agronotícias

Plantio de soja atinge 0,7% da área da safra 2020/21 no Brasil

O plantio de soja atingiu 0,7% da área prevista para a safra 2020/21 do Brasil até quinta-feira 24, aponta levantamento da consultoria AgRural. O número é inferior aos 0,9% de igual período do ano passado e fica abaixo dos 2,7% da média de cinco anos.

Foto: Breno Lobato/Embrapa

Segundo a consultoria, Mato Grosso puxa o ritmo de semeadura, seguido por Paraná, Santa Catarina e São Paulo, mas todos estão atrás da média de cinco anos por causa do início de primavera muito seco e quente. Também já foram plantadas áreas pontuais em Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

Apesar dos primeiros registros de chuva em pontos do Centro-Sul do País, os volumes ainda não foram suficientes para normalizar a umidade do solo na maioria das áreas, conforme a AgRural. “Como os mapas de previsão seguem mostrando volumes muito baixos e de distribuição irregular nas próximas duas semanas, a maioria dos produtores tem preferido não arriscar o plantio no pó.”

A AgRural prevê produção potencial de 131,3 milhões de toneladas de soja no Brasil, ante 125 milhões na safra 2019/20.

Já o plantio da primeira safra de milho 2020/21 alcançou, até quinta-feira 24, 26% da área projetada para o Centro-Sul, abaixo dos 28% de igual período do ano passado e da média de cinco anos. Segundo a AgRural, também em virtude da falta de umidade, os trabalhos de campo perderam ritmo.

Por: Agro em dia.

Categorias
Agroeconomia

Previsões para complexo soja no Brasil na safra mantêm-se inalteradas – Globo Rural

As informações são da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove)

(Foto: Ed. Globo)
(Foto: Ed. Globo)

A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) manteve nesta segunda-feira (5/9) todas as suas projeções para o complexo soja referentes à safra 2015/2016. A estimativa de produção de soja do Brasil na temporada permaneceu em 96,6 milhões de toneladas, assim como a de exportação do grão pelo País, em 53 milhões de toneladas.

De forma semelhante, as projeções da associação continuam as mesmas para as importações da oleaginosa no atual ciclo (500 mil toneladas), processamento (40,7 milhões de toneladas), produção de farelo (30,9 milhões de toneladas), de óleo (8,05 milhões de toneladas) e para o estoque de passagem (2,231 milhões de toneladas).

De janeiro a julho, as associadas da Abiove que, segundo o relatório, representam de 76% a 80% do setor, processaram 18,799 milhões de toneladas de soja e produziram 14,338 milhões de toneladas de farelo e 3,744 milhões de toneladas de óleo.A Abiove também manteve sua projeção de receita decorrente das exportações de soja em grão em 2016 em US$ 19,610 bilhões, assim como a referente às vendas externas de farelo no ano, em US$ 5,320 bilhões, e às de óleo, em US$ 1,020 bilhão.

Categorias
Agroeconomia

Exportações do complexo soja em agosto caem 22,3% em volume ante agosto de 2015 – Globo Rural

Os dados foram divulgados pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC)

Foto: José Medeiros/Ed.Globo
Foto: José Medeiros/Ed.Globo

As exportações brasileiras do complexo soja em agosto somaram 5,075 milhões de toneladas e US$ 2,164 bilhões. Em relação a igual mês do ano anterior, a queda foi de 22,3% em volume e 17,0% em receita. Na comparação com julho, as vendas externas diminuíram 30,0% em volume e 28,7% em receita. Os dados foram divulgados na tarde desta quinta-feira, dia 1º, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

O volume exportado de soja em grão está diminuindo tanto na comparação anual quanto mensal, após terem sido embarcados volumes acima de 8 milhões de toneladas entre março e maio, pico de exportação de soja no ano. Além disso, a janela de vendas externas do milho já está em curso, com os embarques do cereal aumentando em agosto e tomando espaço da oleaginosa nos portos.

De janeiro a agosto, as exportações do complexo somaram 59,970 milhões de toneladas, crescimento de 5,24% na comparação com os 56,986 milhões de toneladas de um ano antes. A receita acumulada até agora em 2016, de US$ 22,379 bilhões, fica 0,37% abaixo do total de US$ 22,463 bilhões verificado nos oito primeiros meses do ano passado.

As exportações de soja em grão somaram 3,816 milhões de toneladas em agosto, recuo de 26,1% ante o volume de 5,161 milhões de toneladas embarcado um ano antes. A receita com as vendas externas do grão atingiu US$ 1,590 bilhão, queda de 20,7% na comparação com igual mês de 2015 (US$ 2,004 bilhões). Na comparação com julho, o volume diminuiu 34,1%, enquanto a receita caiu 34,4%. O preço médio do produto exportado foi de US$ 416,8/tonelada, ante US$ 419/tonelada em julho e R$ 388,4/tonelada há um ano.

No farelo de soja, o volume exportado caiu 1,5%, enquanto a receita aumentou 7,5% na comparação com julho de 2015. Os embarques somaram 1,093 milhão de toneladas, ante 1,109 milhão de toneladas em igual período do ano anterior, e a receita totalizou US$ 462,0 milhões, contra US$ 429,7 milhões há um ano. Em relação a julho, as exportações caíram 21,1% em volume e 17,1% em receita.

Já em óleo de soja, as exportações em julho atingiram 165.900 toneladas, 36,2% abaixo das 259.900 toneladas de igual mês de 2015. A receita somou US$ 112,4 milhões, queda de 35,3% ante os US$ 173,7 milhões registrados em igual período do ano passado. Na comparação com julho, há aumento de 124,7% no volume e 115,6% na receita.

Fonte: Globo Rural