Categorias
Sicredi

Sicredi Sudoeste MT/PA divulga entidades beneficiadas pelo Fundo Social

Ao todo 32 projetos sociais de 16 cidades estão sendo contemplados pelo Fundo

A cooperativa Sicredi Sudoeste MT/PA divulga o resultado do Edital do Fundo Social 2021 contemplando 32 projetos sociais de 16 cidades de Mato Grosso e Pará. Com isso, mais de 7mil pessoas serão impactadas diretamente com recursos do fundo, que tem como objetivo fortalecer ações desenvolvidas pelas entidades que sejam associadas à cooperativa, evidenciando as causas da Cidadania Corporativa do Sicredi: Cooperação, Educação e Desenvolvimento local e, este ano, Saúde.

O Fundo Social foi aprovado em assembleia pelos associados com a destinação de 500 mil reais do resultado do exercício de 2020. Com este recurso, a Cooperativa está beneficiando os projetos cadastrados que se enquadraram no edital publicado em 30 de abril de 2021.  “Para nós é gratificante poder contribuir com o desenvolvimento de projetos sociais da nossa comunidade. Colocamos em prática nossa missão e um dos sete princípios do cooperativismo: o interesse pela comunidade. Estamos juntos para construir uma sociedade mais próspera”, pontua o presidente da Sicredi Sudoeste MT/PA, Antonio Geraldo Wrobel.

Os projetos contemplam o desenvolvimento de diversas atividades, como: esportivas; culturais – com aulas de canto, coral e ballet; iniciativas de combate à fome; banco de fraldas e aquisição de leite; promoção da saúde e inclusão; cursos profissionalizantes; projetos ambientais – com aquisição de mudas; educacionais – com alfabetização de adultos e pessoas com deficiência; aquisição de cadeiras de rodas e banho; aquisição de equipamentos de informática e mobílias; incentivo à cadeia produtiva do pequeno agricultor, entre outras.

O edital é publicado uma vez ao ano, tendo sua próxima edição prevista para maio de 2022. As entidades que se cadastraram podem acessar o site www.sicredinacomunidade.com.br para acompanhar o status do seu projeto e mais informações podem ser acessadas diretamente com os gerentes das agências da cooperativa.

Conheça as entidades que desenvolvem os 32 projetos beneficiados:

Casa da Amizade – Barra do Bugres

Casa da Sopa – Barra do Bugres

Projeto Doce Vida – Barra do Bugres

Lar São Vicente de Paulo – Barra do Bugres

APAE – Barra do Bugres

Associação Regional das Produtoras/es Extrativistas do Pantanal (ARPEP) –  Cáceres

Rotary  Club Distrito 4440 – Cáceres

Lions Clube – Campo Novo do Parecis

APAE –  Campo Novo do Parecis

APAE – Campos de Júlio

Associação Meninos de Ouro – Várzea Grande

APAE – Marabá

Instituto Florescer – Nova Olímpia

Associação Desportiva Waarm – Paragominas

APAE – Redenção

Rotary Club – Redenção

Abrigo São José – Rio Maria

APAE de Rondon do Pará

Associação Comercial Ind Agro Pastoril (Aciasa) – Santana do Araguaia

APAE – Santana do Araguaia

Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Homens – Santo Afonso

Associação Cre&ser – Sapezal

Fonte de Luz – Tangará da Serra

ACITS – Tangará da Serra

Lions Clube – Tangará da Serra

Rotary Club Tangará Cidade Alta – Tangará da Serra

APAE – Tangará da Serra

CAMTA – Tomé-Açu

APAE – Tomé-Açu

Sobre o Sicredi

O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão do Sicredi valoriza a participação dos mais de 5 milhões de associados, os quais exercem papel de donos do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 24 estados* e no Distrito Federal, com mais de 2.000 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros (www.sicredi.com.br).

*Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Atenciosamente

Keila Volkmer de Oliveira

Assessora de Comunicação e Marketing
Comunicação e Marketing

Categorias
Marketing rural

Design: a identidade do seu agronegócio pode atrair ainda mais clientes

Em tempos de crise, todas as ferramentas são importantes para manter clientes e conquistar novos consumidores, vender mais. Muitas empresas têm buscado nos últimos tempos soluções das mais variadas para atrair seu público, mas muitas esquecem de um detalhe que faz toda a diferença: o design.

Esse termo você certamente já ouviu falar, seja nesta ou em outras áreas, e o sentido é o mesmo, é uma espécie de identidade da pessoa ou de uma instituição. O design é uma ferramenta perfeita para você destacar seu agronegócio dentre tantos outros que atuam no mesmo setor e isso vai além da questão visual e gráfica. Pois, ao contrário do que se imagina, isso não se restringe a embalagem de um produto e muito menos a fachada de uma fazenda, por exemplo. Para você entender melhor a importância do design, separamos aqui alguns pontos fundamentais.

A comunicação visual

Podemos voltar no tempo, mais precisamente na pré-história, e lá podemos perceber que a comunicação visual já existia e era necessária para troca de informações entre homens primitivos, que faziam desenhos e pinturas na pedra ou mesmo na terra. Com o passar dos séculos, o desenho foi aprimorado, passando por fases como artística, técnica e até chegar ao desenho de projeto, que hoje tem tudo a ver com criação de identidade de uma marca ou produto.

Já naquela época, o ser humano entedia a comunicação por símbolos, independentemente se eram diferentes em cada região ou não, mas cada grupo possuia esse conhecimento de interpretar por meio dos sinais.

Ainda nos tempos antigos, muitas coisas ganharam forma que possuem até hoje e aos poucos ganham uma versão mais moderna. A sociedade é cercada de informação e a visual talvez seja uma das principais, pois os olhos podem ver e a memória associar o nome de algo a um símbolo e cor. Pense na marca Coca-Cola, o que vem a sua mente? As letras que são usadas no nome e a cor vermelha? Pois é, isso é design, é a marca do produto.

Cores, formas e tipos de letras podem ser facilmente associados com um bom trabalho de design. Aliás, este profissional começa com suas ideias no papel, desenhando mesmo, e posteriormente passa isso para o computador, ganhando assim um aspecto digital, aprimorando em detalhes pequenos e importantes, como ângulos e tamanho.

Muito além do estilo

O designer gráfico é o profissional capacitado para verificar todas as formas de comunicação visual da empresa, desde a criação do logo até um simples flyer ou mesmo um banner. Tudo segue um padrão e esse padrão é replicado adequando-se a plataforma online ou ao impresso.

A marca de uma empresa precisa se enquadrar num banner pequeno dentro de um site da mesma forma que se enquadra num outdoor grande, por exemplo. Parece trabalho simples, mas a dimensão e qualidade disso é toda trabalhada por este especialista, e tudo para manter sempre alinhado com a identidade visual. Algumas empresas disponibilizam em seu site o manual da marca, que traz ali as diferentes adaptações que o logo e outros detalhes podem passar sem distorcer a imagem que as pessoas já conhecem daquela empresa ou produto. O padrão permite que a qualidade continue e o consumidor veja a marca da mesma forma, independentemente de onde está sendo veiculada.

Vale lembrar que é o designer também que constrói toda a arte de uma campanha com base nas informações passadas pelo marketing, que é o setor que entende o público-alvo e está buscando envolver o consumidor em algum novo serviço ou produto.

O profissional que se coloca no lugar do cliente

O designer não atua só na parte gráfica e podemos citar que áreas como produto, serviço e agronegócios precisam deste profissional. Além da aparência, o especialista tem como objetivo tornar a vida do cliente mais fácil e isso envolve várias etapas, desde abrir a embalagem, montar o produto – no caso de alguns itens, aprender a usar, consertar ou até mesmo descartar.

Pensar nas atividades do cliente facilita e muito para a empresa. O processo de criação de um produto ou serviço é algo desafiador, pois muitos aprimoram a ideia, buscam profissionais para colocá-la em prática, mas não se preocupam em se colocar no lugar de quem vai consumir aquilo – erro comum que pode adiar o sucesso da empresa. O designer consegue captar todo esse processo com base em informações importantes do público-alvo, entendo o que eles buscam na prática.

Se pensarmos numa cafeteria, como você imagina o espaço físico e o público que frequenta? Certamente o ambiente é trabalhado com sofás, livros, som-ambiente bem tranquilo e cores mais neutras e quem sabe até um frio do ar condicionado para instigar ao cafezinho fresco e quente. Em relação ao público, jovens a partir de 25 anos, mais homens do que mulheres e muitos já bem colocados no mercado de trabalho. Este é um raciocínio simples, mas o marketing conectado com o designer pode pensar em muitos outros detalhes.

De uma modo geral, independentemente da área do designer, este profissional busca sempre satisfazer o cliente e adequar uma empresa ou produto para aquele consumidor, ainda que as necessidades mudem. Uma empresa pode começar buscando um bom profissional para elaborar e estudar toda a identidade visual, aquilo que vai fazer o consumidor associar a marca aos seus produtos e valores, e posteriormente pode inserir este profissional em várias outras etapas de acordo com o seu conhecimento.

Fonte: Administradores

Categorias
Marketing rural

Como fazer com que seu agronegócio tenha presença relevante na internet

Produtores e empresários do setor agrícola já perceberam que, sem a internet, perde-se muito.

Saiba já como utilizar o Marketing Digital no agronegócio!

Fazer com que seu negócio tenha presença relevante na internet é essencial para o sucesso em um mundo conectado, independentemente do seu segmento de atuação. Nesse sentido, muitas empresas do agronegócio reformularam seus sites e levaram a revolução que fazem no campo para o mundo digital.

Em estudo, a consultoria TerraForum divulgou que há um grande espaço para o crescimento do uso de ferramentas web dentro da cadeia do agronegócio e que o resultado é sentido na outra ponta, onde estão inclusas todas as pessoas ligadas à cadeia agrícola – estudantes, produtores, empresários etc.

Com objetivo de conhecer a realidade dessa cadeia, a Associação Brasileira de Marketing Rural & Agronegócio (ABMR&A) realizou uma pesquisa sobre o perfil comportamental e os hábitos de mídia do produtor, tanto da agricultura quanto da pecuária. No que diz respeito a exposição aos meios de comunicação, a pesquisa mostra um aumento do acesso à internet: no fim da década de 90, somente 3% dos empresários rurais e produtores acessavam a web. Em 10 anos, saltou para 40%, sendo que, destes, 92% já estão conectados às redes sociais. E a tendência é que esse número aumente cada vez mais.

produtores rurais na internet
Fonte: ABMR&A

Como mostra o gráfico acima, o perfil do homem do campo está mudando. O computador e tantas outras novas tecnologias conquistaram produtores e empresários do setor agrícola, e eles já perceberam que, sem a internet, perde-se dinheiro, mercado e informações importantes.

Dentro do cenário atual, que demanda mais eficiência na tomada de decisão de aquisição de produtos e serviços, a internet é uma rede útil para o produtor rural e serve como ferramenta de busca para encontrar parceiros, negócios, cotações, condições climáticas e, claro, notícias deste ambiente. Portanto, quem investe na comunicação e disponibiliza informações se consolida e ganha espaço.

Mas como os produtores, startups e empresas do agronegócio podem utilizar do marketing de conteúdo, das redes sociais, e de outras possibilidades do Marketing Digital para gerar Agro-Negócios? Segue algumas dicas de ações relevantes que podem ajudar!

SEO

Um  site bem estruturado de acordo com as técnicas de arquitetura da informação e otimização de SEO (Search Engine Optimization) pode melhorar o posicionamento da sua marca nos buscadores e a experiência do usuário ao entrar na página da sua empresa, facilitando na hora de encontrar algum produto ou serviço oferecido.

Uma dica importante é saber como as pessoas procuram pelos seus serviços e produtos nos buscadores e entender como está o posicionamento do seu site para essas palavras, afinal é através delas que esse público poderá conhecer a sua empresa.

Por exemplo, para uma empresa que trabalha com genética, seria interessante otimizar seu site para termos como: inseminação artificial, melhoramento genético, reprodução, protocolo de inseminação etc.

Produção de conteúdo

A maioria das empresas desse setor são técnicas e produtoras de conteúdo, mas não divulgam como deveriam. Muitas não percebem que podem e devem ampliar os canais de divulgação desses conteúdos tão ricos.

É preciso ter estratégia para direcionar o conteúdo técnico para o público-alvo, atrair sua atenção, educá-lo constantemente para criar confiança, converter em vendas e fidelizar. E todo esse processo pode correr no mundo digital pela divulgação desses conteúdos, despertando o interesse dos usuários, promovendo interação e, com isso, gerando oportunidades de negócio.

Por exemplo, se sua empresa está ligada à pecuária, falar sobre controle de qualidade da carne e do leite deixa evidente a preocupação da sua organização com o consumidor final. Vamos citar a Monsanto, que mantém atualização diária e produção de conteúdo e se propõe a discutir o tema transgênicos, esclarecendo as argumentações negativas e disseminando as positivas. Esse comportamento estratégico gera engajamento ao estimular discussões construtivas nas redes sociais, atrai visitantes para o site e posiciona a sua marca como referência no setor.

A dica é remeter conteúdos que estejam ligados a dicas de manejo, ao impacto econômico da atividade, pautas atuais relevantes do setor e também à utilização de vídeos e infográficos.

maiores rebanhos do mundo

Fonte: Revista Em Discussão

Mídias Sociais

Mídias sociais são meios de comunicação em que qualquer pessoa pode publicar conteúdo, facilitando a propagação de informações. Facebook, Twitter e blogs são exemplos de ferramentas digitais acessadas por esse público.

Com o novo perfil do produtor, 4 em cada 10 profissionais da área acessam a internet e sites de relacionamentos ou redes sociais, sendo o Facebook o mais citado por eles.  Um ponto que pode ter colaborado com este novo perfil é o fato de que as mídias sociais misturam interação, comunicação instantânea, compartilhamento de informações, fotos e, por algumas vezes, até atendimento ao cliente.

Um exemplo interessante é o movimento #AquiTemAgro, que mostra uma abordagem no mercado sobre como as empresas integrantes da cadeia do agronegócio estão agregando valor aos seus serviços por meio das facilidades digitais, como interatividade e compartilhamento.

Relacionamento

Construir relacionamentos com formadores de opinião do setor, como veterinários, agrônomos, zootecnistas, produtores e clientes é extremamente valioso para sugestão e indicação de produtos e serviços. O fortalecimento do relacionamento entre empresas e pessoas que atuam nas diversas redes de negócios já promove benefícios, sejam essas ações de pré ou pós venda.

Sabe-se que, nesse setor, a maioria dos produtos ou tem alto valor agregado ou é necessário criar confiança para facilitar a compra. Isso impacta diretamente no ciclo de vendas da empresa, que acaba sendo longo e também custoso, pois os técnicos e vendedores fazem longas e muitas visitas.

vendas antes e depois da internet

Pensando nisso, a estratégia de relacionamento contínuo que o Marketing Digital possibilita pode ajudar em parte no processo de prospecção. O objetivo aqui é conquistar autoridade através da construção de relacionamento, educando o produtor através da sua jornada de compra, ajudando na tomada de decisão e deixando-o mais preparado para o contato comercial de forma eficiente.

Estratégias como segmentação e fluxos de nutrição nessa etapa podem impactar em ganhos escaláveis para as empresas, como engajamento com a marca, aumento de vendas e receitas, diminuição do ciclo de vendas, diminuição do custo de aquisição de cliente e eficiência da equipe comercial.

Eventos e feiras

Uma outra característica forte do setor é a presença em feiras e dias de campo, que propicia contatos e networking. Nós entendemos que estar perto, tomar um café e apertar a mão dos prospects e clientes é fundamental.

Uma dica interessante é conciliar o marketing offline com o online, através de ações que possam divulgar o evento, otimizar o processo para captação de contatos, manter um relacionamento posterior contínuo de forma automática e aumentar a visibilidade dessas ações que, todos sabem, têm alto custo de investimento!

Pós-evento, é comum os vendedores ficarem presos aos cartões de visitas e preenchimento manual de planilhas, a fim de centralizar dados e contabilizar o saldo de possíveis oportunidades de negócio. Nesses processos, pode haver perda de informações e, até mesmo, perda do timing de retomada desses contatos. Uma estratégia é utilizar Landing Pages para cadastros nesses eventos e, posteriormente, contato automático, já que no mesmo dia ele pode receber o contato da empresa agradecendo a visita no estande e convidando-o para acessar o site, entre outras diversas ações.

Já para dias de campo, pode-se aumentar a difusão de informações e debates ricos que esse evento gera através de filmagens ou compilando arquivos que poderão ser divulgados ou disponibilizados para download a quem não conseguiu comparecer.

Portanto, desenhar as ações offline e online de forma complementar pode impactar e garantir o sucesso da estratégia de marketing e vendas da empresa.

Tendências e Soluções

Essa ampliação do acesso à internet e às redes digitais por todo o campo promove um novo ambiente de negócios. Mesmo sendo um setor com padrões tradicionais, a oportunidade é de (re)descobrir o poder do marketing para educação do setor, fortalecer a marca e seus produtos e alavancar vendas.

Para divulgar mensagens e aproveitar as melhores oportunidades do mercado agropecuário no Brasil é preciso alinhar estratégias com ferramentas inovadoras.

Fonte: RDStation

É preciso pensar fora da caixa e investir em comunicação digital para se destacar perante a concorrência. Dentro de um mercado tão vasto como o setor agrícola, ganha quem estiver melhor preparado.

Você está?