Categorias
Agronotícias

Agrishow 2020 será adiada

Nova data ainda não foi divulgada
Na manhã desta terça-feira (17.03), a organização da Agrishow divulgou nota oficial sobre o adiamento do evento. A Feira estava marcada para os dias 27 de abril a 01 de maio.

Veja abaixo na íntegra a nota oficial divulgada

Diante da pandemia do coronavírus e seguindo as orientações da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde e do Governo do Estado de São Paulo, a direção da Agrishow 2020 informa que a feira será postergada.

Tão logo haja definição de uma nova data, comunicaremos publicamente a decisão.

Reposts: Agrolink

Categorias
Eventos do Agronegócio

InterCorte terá degustação de mais de 100 queijos artesanais paulistas

Ação finalizará painel “Caminhos do Leite” no WTC no primeiro dia do evento

A pecuária de leite terá espaço especial no primeiro dia  InterCorte em São Paulo (SP), que ocorre entre 21 e 23 de novembro, no WTC Golden Hall. O painel “Caminhos do Leite” terá palestras para debater o cenário atual e os desafios da produção leiteira no país, além de apresentar casos de sucesso. Para concluir, os participantes participarão de uma degustação de mais de 100 variedades de queijos artesanais produzidos no estado de São Paulo, em parceria com a Associação Paulista do Queijo Artesanal (APQA) e com o Caminho do Queijo Artesanal Paulista.

“Mais de 25 produtores do estado apresentarão seus queijos, quase todos únicos e criados pelo próprio produtor! Queremos mostrar que a característica principal do queijo artesanal paulista é a inovação! O resultado é uma grande variedade de queijos de alta qualidade. Mostra disso é a quantidade de medalhas que queijarias paulistas conquistaram no IV Prêmio Queijo Brasil, que teve quase 500 queijos avaliados, vindos de todo o país. Os participantes da InterCorte poderão experimentar e certamente se encantar com os queijos produzidos em São Paulo”, destaca o presidente da APQA, Christophe Faraud.

Para Carla Tuccilio, diretora do Terraviva Eventos, que promove a InterCorte, a degustação coroará o painel dedicado à pecuária leiteira. “Trazer a cadeia produtiva do leite para o evento é parte do esforço da nossa plataforma ‘Integrar para Crescer’, que propõe unir forças e integrar cada vez mais os diversos elos das cadeias produtivas de alimentos a fim de fortalecer o papel do Brasil como celeiro do mundo”, destaca.

Programação “Caminhos do Leite” na InterCorte
O Hoje e o Amanhã da Pecuária Leiteira
Moderador: Sidnei Maschio
Data: 21/11
Local: Auditório Integrar para Crescer – WTC Golden Hall

17h30: Cenários – Geraldo Borges

18h00: Gestão – Bruno Scarpa

18h30: Case Grupo Leite da Mantiqueira – Carlos Augusto Siguinolf

18h45: Case Laboratório IZ Qualidade do Leite – Roma Jr.

19h00: Debate

Mediador: Paulo do Carmo Martins
Mauricio Coelho
Sergio Soriano
Roberto Jank Jr.
Wander Bastos

19h30: Queijos artesanais e vinhos

Mais informações e inscrições pelo site: www.intercorte.com.br/saopaulo2018

Sobre a InterCorte

Desde a sua criação em 2012, a InterCorte já contou com a participação de mais de 27 mil pessoas, a maior parte pecuaristas, em eventos que percorrem algumas das principais regiões pecuárias do País para levar informação, conhecimento e tecnologia.
Em 2018 a InterCorte ocorreu em Cuiabá (MT), no mês de março, com a participação de 1.500 pessoas, Marabá (PA) em maio com 1.050 participantes e será finalizada em São Paulo (SP), nos dias 21, 22 e 23 de novembro.

A InterCorte faz parte do “Integrar para Crescer”, plataforma de comunicação que envolve eventos e ações com o intuito de disseminar informação de qualidade, reverberando os temas e discussões relevantes ao setor. Além da InterCorte, a plataforma ainda promove eventos como a Interconf, InterGrãos e ações como o movimento #SomosdaCarne, a Beef Week, “Você Sabia” e “Caminho do Boi”, visando sempre o crescimento e fortalecimento do agronegócio no Brasil. Mais informações: www.intercorte.com.br.

Categorias
Eventos do Agronegócio

InterCorte Marabá incentiva a união e o fortalecimento da cadeia da carne no Pará

Evento será realizado no Carajás Centro de Convenções, nos dias 22 e 23 de maio e terá abertura oficial no dia 21 à noite

A InterCorte, evento itinerante que há seis anos percorre os principais polos de produção da pecuária no país, chega pela primeira vez a cidade de Marabá (PA), estado que atualmente possui o quinto maior rebanho bovino e o maior rebanho bufalino do Brasil. O evento, que esteve no Pará em 2013, volta ao estado nos dias 22 e 23 de maio, no Carajás Centro de Convenções. A abertura oficial do evento será no dia 21 de maio, às 19h, com a presença de autoridades e apresentação da Aliança Paraense da Carne – APC e do Programa PECUARIANDO.

“O estado do Pará tem buscado evidenciar e estruturar a cadeia, buscando unir forças entre os elos. Temos como objetivo trabalhar melhor os problemas do setor e fortalecer a carne paraense. A vinda da InterCorte para o Pará faz parte desse movimento”, explica o presidente da Acripará (Associação de Criadores do Pará), Maurício Fraga.

Imagens da Etapa Cuiabá 2018

Segundo Maurício, a relação entre os elos da cadeia produtiva era difícil e, com a fundação da Acripará e por meio do apoio da União Nacional da Indústria e Empresas da Carne (UNIEC), o estado iniciou o desenvolvimento da Aliança Paraense da Carne. “Acreditamos que com o apoio de todos conseguiremos trabalhar melhor os desafios da cadeia e, além disso, valorizar ainda mais a qualidade da carne paraense”, destaca.

A etapa da InterCorte em Marabá (PA) vem de encontro com os interesses do setor no estado, trazendo ao produtor e à indústria da carne, após a programação institucional da abertura no primeiro dia, um workshop de dois dias, que conta com a presença de especialistas de renome no setor, que debatem com o público presente, temas de relevância para o desenvolvimento da pecuária no Brasil. As palestras e debates serão divididas em quatro blocos com os temas centrais: “Produzir mais”, “Produzir melhor”, “As vantagens da produção responsável” e “Integrar para crescer”.

“Nosso objetivo com a InterCorte é levar até o produtor rural informações, tecnologias e soluções que auxiliem na melhora da eficiência produtiva no campo e também as impressões e tendências de fora da porteira. Nós voltamos ao Pará com esse mesmo intuito, de auxiliar no fortalecimento da cadeia produtiva no estado e colaborar com o crescimento da pecuária nacional, focando sempre na busca pela qualidade”, afirma a Carla Tuccilio, diretora do Terraviva Eventos, empresa responsável pela realização da InterCorte.

Além da programação institucional e do workshop, a InterCorte conta com uma feira de negócios, na qual empresas de referência apresentam suas tecnologias e inovações para a pecuária. Estarão presentes na etapa de Marabá as empresas Ourofino, Tortuga, Nutron, JBS, Aysta LifeScience, ABS,  Allflex, Bayer, Biogénesis Bagó, Brutale, Coimma, Estância Bahia Leilões, GENEX, Germipasto, Multbovinos, Oro Agri, UPL e Beckhauser.

A etapa da InterCorte em Marabá é uma realização do Terraviva Eventos e da Acripará com o apoio do Governo do Estado, por meio da CODEC, e da Assembleia Legislativa do Pará.

As inscrições podem ser feitas pelo site: http://intercorte.com.br/maraba2018.

Sobre a InterCorte

Desde a sua criação em 2012, a InterCorte já contou com a participação de mais de 27 mil pessoas, a maior parte pecuaristas, em eventos que percorrem algumas das principais regiões pecuárias do País para levar informação, conhecimento e tecnologia.

Além de Marabá (PA), a edição de 2018 já foi realizada em Cuiabá (MT) e em novembro, ocorrerá em São Paulo (SP).

A InterCorte faz parte do “Integrar para Crescer”, plataforma de comunicação que envolve eventos e ações com o intuito de disseminar informação de qualidade, reverberando os temas e discussões relevantes ao setor. Além da InterCorte, a plataforma ainda promove ações como o movimento #SomosdaCarne, a Beef Week, “Você Sabia” e “Caminho do Boi”, visando sempre o crescimento e fortalecimento do agronegócio no Brasil.

 

Categorias
Pecuária

Emissões de GEE na pecuária brasileira são apresentadas em evento internacional – EMBRAPA

Durante cinco anos, a dinâmica de gases de efeito estufa e balanço de carbono em sistemas de produção da agropecuária brasileira. (Foto: Alexandre Berndt)
Durante cinco anos, a dinâmica de gases de efeito estufa e balanço de carbono em sistemas de produção da agropecuária brasileira. (Foto: Alexandre Berndt)

 

Os resultados de estudos da Rede de Pesquisa Pecus serão apresentados durante II Simpósio Internacional sobre gases de efeito estufa na agropecuária (II SIGEE), de 7 a 9 de junho, em Campo Grande (MS). O evento é realizado pela Embrapa e Sistema Famasul.

Pesquisadores da Embrapa e de instituições parceiras nacionais e internacionais estudaram, durante cinco anos, a dinâmica de gases de efeito estufa e balanço de carbono em sistemas de produção da agropecuária brasileira. A Rede trabalhou nos biomas Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa para  determinar o nível das emissões e o potencial de mitigação (redução de emissões e remoção de GEE da atmosfera) em busca de uma pecuária sustentável.

De acordo com a pesquisadora Patrícia Anchão, coordenadora da Pecus, os resultados indicam quais os modelos pecuários são mais competitivos e sustentáveis. Durante o simpósio, os participantes terão acesso aos dados de emissões de gases pelos animais, solo e o sequestro de carbono em vários tipos de sistemas, como convencional, integrado, extensivo e intensivo.

Uma simulação de balanço entre as emissões e as remoções de gases de efeito estufa em um processo de recuperação de pastagem demonstrou que é possível obter saldo positivo de carbono com taxa de acúmulo superior a uma tonelada por hectare a cada ano.

Alguns sistemas de produção, como a integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), e alterações na nutrição animal, com inclusão de aditivos na dieta bovina, são estratégias pesquisadas e com potencial para diminuir as emissões da agropecuária. Isso ocorre, segundo Patrícia, porque os sistemas integrados retêm mais carbono pela presença do componente arbóreo, e uma melhor digestão promove menores emissões de metano pelos animais.

A pesquisadora revela ainda que a produtividade animal em sistemas intensivos mostrou ser até quatro vezes maior em comparação ao modelo pecuário extensivo e/ou degradado.

Resultados como esses vão contribuir para o Brasil atingir os compromissos de redução das emissões, assumidos pelo Governo durante a 21ª Conferência do Clima (COP 21), realizada em dezembro de 2015, na França. Além de colaborar para a formulação de políticas públicas e para as atualizações do Inventário Nacional de Emissões e Remoções de GEE.

Pecus – A Rede de Pesquisa Pecus, iniciada em 2011, é formada por mais de 200 pesquisadores da Embrapa, 49 instituições parceiras nacionais e oito internacionais. O objetivo principal é quantificar as emissões da pecuária brasileira de forma mais holística e com repetição temporal. A Rede realiza pesquisas nos seis biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa. São feitos balanços entre as emissões de gases de efeito estufa, principalmente por meio da emissão do metano entérico dos bovinos e das emissões do sistema solo-planta e o sequestro de carbono dos vários sistemas de produção.

Simpósio –  O II Simpósio Internacional sobre Gases de Efeito Estufa na Agropecuária (II SIGEE) é realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e Sistema Famasul, com patrocínio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Sicredi e Reflore MS.

O evento tem ainda o apoio da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), Rede ILPF, Unipasto, Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (ABIEC), Sistema OCB/MS, Fiems, Instituto Senai, Sebrae, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e WRI Brasil.

Fonte: Embrapa

Gisele Rosso (MTb/3091)
Embrapa Pecuária Sudeste

Categorias
Eventos do Agronegócio

Uma semana dedicada ao Mangalarga Marchador da Amazônia.

Aconteceu em Belém – PA entre os dias 26 a 29 de Agosto no Parque de Exposições Presidente Médici a III Exposição Especializada do Mangalarga Marchador da Amazônia. Entre os participantes esteve o diretor-presidente da ABCCMM – Associação Brasileira dos Criadores do Cavalo Mangalarga Marchador Sr. Madgi Abdel Raouf Shaat que recebeu das mãos do Sr. Carlos Xavier diretor da FAEPA – Federação da Agricultura e Pecuária do Pará a Medalha Mérito Agropecuário.

 O Evento contou com a presença de diversos criadores da raça das regiões norte e nordeste. Um show de qualidade racial e organização, idealizada pelo NCCMMA – Núcleo dos Criadores de Cavalos Mangalarga Marchador da Amazônia e seu presidente Sr. Severino Ramos de Moura e toda sua diretoria.

Na quinta-feira – 27, um grupo de jovens empresários do agronegócio, o PAGRO realizou uma confraternização que contou com o lançamento da I Cavalgada de Nossa Senhora de Nazaré que se realizará nas comemorações do Círio 2015, com Show do Dr. Sertanejo.

Entre os eventos o 10º Leilão Evolução do Guzerá no dia 28/08, teve participação especial da Raça Mangalarga Marchador onde foi ofertado grandes animais.

O Ruralbook esteve presente e pode constatar todo trabalho realizado pelo núcleo e criadores. Parabéns a todos.

Em breve uma Página Exclusiva na internet com tudo sobre o Mangalarga Marchador na Amazônia. www.nccmma.com.br – Aguardem!!!!

Categorias
Eventos do Agronegócio

Showtec 2014 – Inovação tecnológica nas mãos do produtor rural

Inovação tecnológica nas mãos do produtor rural: esta é a temática da 18ª edição do Showtec, organizado pela Fundação MS e lançado oficialmente nesta última quarta (4), na sede do Sistema Famasul. Entre as autoridades que confirmaram presença está o governador do Estado, André Puccinelli.

04_12_2013_18_22_07O Showtec acontecerá nos dias 22, 23 e 24 de janeiro de 2014 e está entre as 10 maiores feiras do setor no Brasil. Além disso, o evento é conhecido internacionalmente, com participação de produtores do Paraguai, Bolívia e Uruguai. Cerca de 100 expositores apresentarão novas soluções para os sistemas produtivos, além de 500 tecnologias voltadas para o campo. Da mesma forma, haverá novos espaços para os setores de pecuária, leite, sucroenergia e agricultura familiar.

Os giros tecnológicos também são destaque na programação. Por meio de palestras técnicas, pesquisadores da Fundação MS abordarão temas como: variedades de soja para Mato Grosso do Sul, relação da arquitetura do milho com a instalação de capins em consórcio e cultivo de soja em plantio direto sob diferentes capins.

Outra novidade é a realização da Rodada de Negócios, em parceria com o Sebrae/MS. O objetivo é aproximar comercialmente empresas do agronegócio que ofertam e demandam produtos e serviços, dos produtores rurais, com foco na geração de parcerias de negócios, desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas de Mato Grosso do Sul.

Conforme o presidente da Fundação MS, Luiz Alberto Moraes Novaes, o Showtec 2014 será uma oportunidade para que o produtor rural tenha acesso às inovações tecnológicas relacionadas à agricultura e pecuária, além de fazer bons negócios. “Nossa expectativa é a melhor possível. Essa parceria com o Sebrae proporcionará ainda mais oportunidades para os produtores”, enfatiza.

O evento, que conta com a parceria de instituições do setor agropecuário, apresentará ao público, ainda, dados estatísticos da agricultura em Mato Grosso do Sul e os desafios para áreas em expansão, bem como estratégias de formação de boas coberturas em sistemas de cultivos integrados.

O impacto do javali na agricultura de MS também será debatido, além de temas como a situação atual dos Nematoides no Estado, a viabilidade econômica regional do sistema soja/milho, os desafios e perspectivas da produção de cana-de-açúcar e o Manejo de Pragas de Difícil Controle, como a Helicoverpa spp. entre outras.

Fonte: Campo Grande News

Categorias
Fatos e Acontecimentos

Produtores de MS esperam arrecadar até R$ 3 milhões no Leilão da Resistência

Produtores rurais de Mato Grosso do Sul esperam arrecadar cerca de R$ 3 milhões no chamado Leilão da Resistência, a ser realizado no sábado (7/12), em Campo Grande, capital do estado. A intenção é levantar fundos para custear ações contra demarcações de terras indígenas.

0,,69761153,00No pregão, serão ofertados animais, cereais, máquinas e produtos doados pelos próprios agricultores e pecuaristas do estado. De acordo com os organizadores, os recursos arrecadados serão utilizados na mobilização dos produtores, em logística, pagamento de honorários de advogados, divulgação e até mesmo para segurança das fazendas.

A Frente Parlamentar Agropecuária manifestou publicamente apoio à realização do evento. Para a entidade, o governo federal tem sido “omisso”, o que traz insegurança jurídica no campo.

De acordo com nota divulgada pela FPA, o deputado Reinaldo Azambuja (PSDB-MS) informou que a campanha do leilão já recebeu cerca de mil cabeças de gado, além de toneladas de soja, milho, algodão, etc.

“Esses animais e esses produtos foram doados pelos próprios pecuaristas e agricultores. O movimento conta com a adesão e apoio de várias entidades, de empresas do setor e de instituições de outros segmentos produtivos do estado”, destacou o parlamentar, na nota.

Fonte: Globo Rural

Categorias
Eventos do Agronegócio

Empresas apresentam novidades tecnológicas no Circuito Feicorte NFT em Paragominas (PA)

Inovações trazidas pelas empresas ao evento, que ocorre nos dias 7 e 8 de novembro, contribuem para tornar a pecuária mais eficiente.

A busca pela eficiência na produção e comercialização da carne é o tema principal do Circuito Feicorte NFT, evento que vem percorrendo alguns dos principais polos de pecuária do Brasil e que terá a sua última etapa em Paragominas, no Pará, nos dias 7 e 8 de novembro. A cidade é líder do Projeto Pecuária Verde, que vem sendo considerado um novo modelo de produção pecuária sustentável para a Amazônia.

feicorte-2013Além de palestras de debates com renomados especialistas brasileiros, que abordam a busca pela eficiência a partir de uma visão do mercado, nutrição, sanidade, genética, pastagens, bem-estar animal, influência do clima, gestão e práticas sustentáveis, os participantes do evento têm a oportunidade de estar em contato com as principais inovações tecnológicas trazidas pelas 25 empresas presentes na feira de negócios que compõe o Circuito Feicorte.

Na área de nutrição animal, a Alltech, empresa líder mundial no setor de saúde e nutrição animal e biotecnologia, participa da etapa de Paragominas apostando no grande potencial do estado do Pará para aumentar a produtividade sem avançar em área. Para isso, oferece soluções nutricionais podem colaborar neste desenvolvimento, como o Optigen que aumenta a eficiência alimentar e ajuda o mesmo animal a produzir mais carne. A Phibro, empresa líder global no mercado de aditivos para nutrição e saúde animal, apresenta aos visitantes os benefícios e soluções com a utilização da Virginiamicina, aditivo que, ofertado aos animais diariamente, melhora o ganho de peso. Esta tecnologia demonstra que a pasto o animal pode obter ganho adicional de 100g/dia o que representa uma arroba ano.

Na área de pastagens, a Arysta LifeScience leva para a etapa de Paragominas o portfólio completo de pastagens dentro do conceito Pronutiva, que associa produtos de proteção aos produtos para nutrição de plantas, que inclui os herbicidas Artys, Triclon e Browser, o que garante um controle efetivo das plantas daninhas que infestam as pastagens. “A etapa de Paragominas será essencial por se tratar de uma das regiões mais importantes na pecuária do Estado do Pará, que tem se destacado como modelo de desenvolvimento na utilização de conceitos sustentáveis na produção”, destaca Ricardo Frugis, gerente de pastagem da Arysta. A Dow AgroSciences destaca a linha Convert*, plataforma de inovação com soluções para o negócio de pastagem com um portifólio completo de produtos e serviços para garantir o aumento da produtividade na atividade pecuária. Todos os itens relacionados à alimentação animal estão sob este guarda-chuva, incluindo o híbrido de braquiária Convet* HD364, que apresenta ganho em produção de arrobas ou leite/ha, devido produção em média 20% superior de Matéria Seca (MS) por hectare e sua alta digestibilidade, até a capacidade de tolerar condições adversas de clima nas distintas regiões de produção de carne e leite pelo Brasil.

As novidades em equipamentos ficam por conta do tronco Parede Móvel versão completa com duas pescoceiras, da Beckhauser, ideal para quem trabalha com fêmeas, pois imobiliza o corpo da rês por inteiro sem apertar o vazio. O produto também é indicado para quem faz ciclo completo e, por levar em conta os conceitos de bem-estar animal, é bastante recomendado pelos especialistas nessa área, como os do Projeto Pecuária Verde, de Paragominas. A BML Pesagem e Identificação Animal apresenta no Circuito Feicorte o Bull Tag, software inédito criado para rastreamento, identificação e controle do estoque de animais, desde a fazenda, passando pelo frigorífico e chegando até o consumidor final. Além de ser totalmente pela internet, que dispensa instalações e permite que os dados sejam acessados de qualquer lugar, o sistema integra informações tanto da fazenda quanto do frigorífico e supermercado recolhidas pelo chip do boi, etiqueta RFID (tecnologia de identificação por radiofrequência que armazena os dados remotamente na etiqueta) e etiqueta bimensional, que pode ser consultada pelo consumidor via celular.

A Rocha Irrigações aposta sua expertise em projetos de aspersão para controlar poeira em confinamento para apresentar na etapa de Paragominas do Circuito Feicorte. A poeira no confinamento prejudica diretamente a saúde de pessoas envolvidas com a atividade e das que vivem em seus arredores, pois ficam sujeitas a contrair doenças respiratórias, alergias, entre outras complicações. Muitas vezes, a poeira chega às rodovias, prejudicando a visibilidade e agravando as condições de direção. A poeira ataca diretamente o bolso do empreendedor, prejudicando a saúde do animal e causando estresse, o que contribui para a queda na conversão alimentar e consequente redução no ganho de peso diário e menos rendimento de carcaça. O controle da poeira por meio de sistema de irrigação traz benefícios, como amenização da temperatura ambiente, melhoria do conforto animal, redução nos índices de doenças respiratórias e incidência de pneumonia, melhoria da conversão alimentar devido ao melhor conforto do animal e consequente aumento do ganho de peso diário, melhor aproveitamento dos dias confinados (maior rendimento de carcaça) e redução de perdas de animais por pneumonia.

A Associação Brasileira de Hereford e Braford aposta no Circuito Feicorte para divulgar a qualidade genética das raças Hereford e Braford selecionadas no Brasil, e os produtos e serviços agropecuários que fazem parte do Projeto Setorial Brazilian Hereford & Braford, parceria entre ABHB e Apex-Brasil. A Associação pretende também mostrar como o cruzamento industrial utilizando as raças HB pode potencializar a eficiência produtiva tanto a campo quanto no confinamento. A expectativa da ABHB é realizar contatos com potenciais investidores na genética e produtos/serviços agropecuários, e fomentar as raças na região, que possui um grande potencial produtivo de carne de qualidade com valor agregado através da utilização das raças Hereford e Braford, que vem crescendo em todas as regiões.

A participação da CRI Genética no evento está focada em divulgar os benefícios do cruzamento industrial para obtenção de lucro máximo na pecuária de corte. No Pará, a equipe da CRI desenvolve trabalhos principalmente na pecuária de corte. De acordo com Frederico Jardim, supervisor de vendas na região, a raça Nelore tem destaque, mas a prática do cruzamento industrial já tem dimensões nacionais. “Os produtores têm-se aprimorado cada vez mais, participando, por exemplo, de programas de certificação de carne, o que faz com que o cruzamento com raças taurinas, como o Angus, seja benvindo”, comenta.

A etapa de Paragominas terá a participação de três indústrias frigoríficas – Marfrig, Minerva e Mafrinorte, de Castanhal (PA) – que apresentarão seus programas de incentivo a fornecedores e ferramentas para estimular a produção de carne de qualidade superior.

No segmento de saúde animal, as novidades são o conceito de Beta-agonista, tradzido pela MSD Saúde Animal, tecnologia que envolve melhoria no desempenho animal de forma sustentável em confinamento; o Colosso FC30, ectoparasiticida da Ouro Fino com formulação inédita ao associar os ativos Fenthion, Cipermetrina e 30% de Clorpirifós), que age contra os parasitas externos mais resistentes aos tratamentos convencionais contra carrapato, berne e mosca-dos-chifres; e o endo e ectoparasita Wormek® TX 3,5%, da Vétoquinol-FAGRA, de ampla atuação reconhecido por sua eficácia e o menor período de carência do mercado.

 Sobre o Circuito Feicorte NFT

O Circuito Feicorte NFT é uma iniciativa do Agrocentro (que promove a Feicorte – Feira Internacional da Cadeia Produtiva da Carne – em São Paulo há 19 anos) e a Nutrition for Tomorrow Alliance (aliança de marketing cooperativado formada por empresas da cadeia de proteína animal).

As quatro primeiras etapas realizadas em 2013 – Cuiabá (MT) em março, Palmas (TO) em maio, Campo Grande (MS) em julho e Ji-Paraná (RO) em outubro – reuniram mais de 5 mil participantes. A etapa de Paragominas (PA) em novembro fecha a edição de 2013 do evento.

Na primeira edição do Circuito Feicorte NFT em 2012 foram promovidas quatro etapas regionais (MT, BA, GO e MS), com a participação de 4 mil pessoas, representando mais de 17 milhões de cabeças de gado.

Serviço

Etapa de Paragominas do Circuito Feicorte NFT 2013
Data: 7 e 8 de novembro
Horário: 8h
Local: Parque de Exposições Amílcar Tocantins – Paragominas (PA)
A programação completa da etapa de Paragominas pode ser consultada em www.agrocentro.com.br/circuitofeicorte
Facebook: http://www.facebook.com/agrocentro.feiras

Fonte: Attuale Comunicação

Categorias
Pecuária

Como ter uma pecuária cada vez mais sustentável será o foco do Circuito Feicorte NFT em Paragominas (PA)

Nos dias 7 e 8 e novembro, a cidade de Paragominas, líder do Projeto Pecuária Verde, sedia a última etapa do Circuito Feicorte NFT 2013.

Com um rebanho de 20 milhões de cabeças de gado, o Pará ocupa o 4º lugar no ranking dos maiores estados produtores brasileiros e tem como principal desafio aliar produtividade com sustentabilidade. Esse será o foco da etapa de Paragominas (PA), nos dias 7 e 8 de novembro, do Circuito Feicorte NFT, evento que vem percorrendo alguns dos principais polos de produção pecuária no Brasil para levar conhecimentos, discussões e tecnologias para produtores rurais.

O evento já passou ao longo de 2013 por Cuiabá (MT), Palmas (TO), Campo Grande (MS), Ji-Paraná (RO) e encerrará no Pará, estado que conta com mais de 330 mil propriedades dedicadas à pecuária de corte em 25 milhões de hectares de área. Em 51% dos municípios paraeneses, a pecuária é a principal atividade econômica.

No Circuito Feicorte, que é realizado pela primeira vez no Pará, os participantes poderão discutir com importantes especialistas brasileiros em dois dias de palestras, painéis e debates o tema “Eficiência na produção e comercialização da carne” a partir de uma visão de mercado, nutrição, sanidade, genética, pastagens, bem-estar animal, influência do clima, gestão e práticas sustentáveis.

Novidades na programação

O segundo dia do evento (8/11) terá um formato inovador e quatro painéis reunirão diversos elos da cadeia produtiva da carne para discutir um modelo de pecuária cada vez mais sustentável.

No primeiro painel intitulado “Construindo uma agenda única para a pecuária sustentável no estado do Pará” participarão o Procurador do Ministério Publico Federal, Daniel Azeredo, Fernando Yamada, da Associação Brasileira de Supermercados para tratar do Programa Pecuária Sustentável e o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne – ABIEC para abordar a abertura do mercado externo para a pecuária do PA.

Lavoura Pecuária e Floresta II“Incentivos do setor público em harmonia com a agenda da Boa Carne” é o título do segundo painel do dia com o Secretário Extraordinário de Estado para Coordenação do Programa Municípios Verdes, Justiniano Netto, que falará sobre como simplificar e criar incentivos para a adequação ambiental rural no Pará. O diretor de Agronegócios do Banco do Brasil, Clenio Serio Teribele tratará da aplicação do programa ABC pelo BB, seguido do Secretário de Agricultura do Estado, Hildegardo Nunes, que mostrará como está sendo a aplicação do programa ABC no Pará. Na sequência, o presidente do Banco da Amazônia, Valmir Pedro Rossi abordará a aplicação dos programas para reforma de pastos degradados.

O terceiro painel tratará do exemplo de Paragominas na busca por produtividade, qualidade e desmatamento zero na prática. Serão apresentados os resultados práticos dos trabalhos realizado pela Esalq-USP, Sindicato dos Produtores Rurais de Paragominas e pelo instituto de pesquisa Imazon.

Esse painel terá uma palestra do Presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Paragominas, Mauro Lucio de Castro Costa sobre a importância econômica do ganho em produtividade. Participarão do painel os professores Moacyr Corsi, da Esalq-USP e Mateus Paranhos das Costa, da Unesp Jaboticabal, que fazem parte do Projeto Pecuária Verde, que vem sendo considerado um novo modelo de produção pecuária para a Amazônia. Corsi desenvolve trabalhos na área de pastagens e Paranhos em manejo e bem-estar animal.

Por fim, o último painel será a respeito dos incentivos do setor privado em harmonia com a agenda da Boa Carne, em uma mesa redonda com representantes da indústria e do varejo, como Carrefour, Walmart, Marfrig, Minerva e JBS, moderados pelo presidente do Grupo de Trabalho de Pecuária Sustentável, Eduardo Bastos.

“Certamente essa etapa de Paragominas fechará com chave de ouro a edição de 2013 do Circuito Feicorte NFT, que vem cumprindo com a sua missão que é levar conhecimentos para onde o produtor está por meio das palestras e debates, e tecnologias levadas pelas empresas que participam da feira de negócios. Com isso, ele terá ferramentas para buscar eficiência em seu negócio com sustentabilidade”, acredita Carla Tuccilio, gerente do Agrocentro, uma das realizadoras do Circuito Feicorte NFT.

Sobre o Circuito Feicorte NFT

O Circuito Feicorte NFT é uma iniciativa do Agrocentro (que promove a Feicorte – Feira Internacional da Cadeia Produtiva da Carne – em São Paulo há 19 anos) e a Nutrition for Tomorrow Alliance (aliança de marketing cooperativado formada por empresas da cadeia de proteína animal).

As quatro primeiras etapas realizadas em 2013 – Cuiabá (MT) em março, Palmas (TO) em maio, Campo Grande (MS) em julho e Ji-Paraná (RO) em outubro – reuniram mais de 5 mil participantes. A etapa de Paragominas (PA) em novembro fecha a edição de 2013 do evento.

Na primeira edição do Circuito Feicorte NFT em 2012 foram promovidas quatro etapas regionais (MT, BA, GO e MS), com a participação de 4 mil pessoas, representando mais de 17 milhões de cabeças de gado.

Programação: Saiba mais sobre a FEICORTE

Mais informações: www.agrocentro.com.br/circuitofeicorte
Facebook: http://www.facebook.com/agrocentro.feiras

Fonte: Feicorte

Categorias
Eventos do Agronegócio

Maior evento de avicultura do Norte do País

O evento mais completo da cadeia produtiva de aves acontece de 07 a 10 de novembro em Santa Izabel do Pará (PA), berço da avicultura paraense. Expectativa é receber 20 mil pessoas.

Santa Izabel do Pará, o berço da avicultura paraense, será palco das discussões mais importantes da cadeia produtiva de aves do Pará e do Brasil. O AveFest 2013, organizado pelo Sindicato dos Produtores Rurais de Santa Izabel do Pará e Santo Antônio do Tauá (Sinpriz), Associação Paraense de Avicultura (Apav) e Associação Comercial, Industrial,

Avefest 2013 IIAgropastoril e Serviços de Santa Izabel do Pará (Aciasi), será realizado entre os dias 07 e 10 de novembro, no Estádio Municipal Edílson Abreu, em Santa Izabel do Pará, e reunirá mais de 60 empresas regionais e nacionais e centenas de produtos e serviços em contato direto com um público que vem de todo estado e do Brasil. A estimativa é que 20 mil pessoas passem pelo evento durante os quatro dias.

O AveFest 2013 reúne em recinto amplo e exclusivo uma feira de negócios – no qual as principais empresas dos mais diferentes setores da indústria avícola expõem e lançam seus produtos e tecnologias – além de palestras técnicas, onde renomados especialistas debatem e articulam os principais assuntos e diretrizes dessa cadeia no Pará e no Brasil.

“O AveFest se tornou o principal centro de soluções integradas para os produtores avícolas, não só pela oportunidade de negócios, mas também pela atualização técnica aos profissionais da área proporcionada pelos seminários técnicos realizados em paralelo ao festival”, explica Evandro Watanabe, presidente do Sinpriz, que promove o AveFest há 4 anos.
Somente em sua última edição, a feira atraiu mais de 15 mil visitantes de vários municípios do estado.

Patrimônio cultural
O evento foi declarado em 2012 pela Assembleia Legislativa do Estado do Pará como parte integrante do patrimônio cultural de natureza imaterial do estado do Pará. A Lei nº 7.671 foi assinada pelo governador Simão Jatene nos termos do artigo 286 da Constituição do Estado do Pará.

Programação técnica
O programa de palestras abordará assuntos relacionados com Sanidade Avícola, Nutrição, Manuseio e Produção, Genética e Incubação, Área Empresarial e Meio Ambiente.

Inovação
Apresentação do Espaço Empreendedor do Sebrae e ações de Educação Ambiental e Inclusão Digital nas escolas e comunidades de Santa Izabel do Pará e Santo Antônio do Tauá.

Entraves
Segundo os organizadores do AveFest, apesar do avanço do setor na incorporação de tecnologias, a expansão e a modernização da atividade depende da ampliação e regulação na oferta de milho e soja – produtos importantes na incorporação e composição de ração balanceada -, avanço no controle de sanidade avícola, correções tributárias com relação ao produto e as máquinas e equipamento destinados a modernização do setor, entre outros.

Números do setor no Brasil e no Pará
O Brasil manteve a posição no ano de 2012 de maior exportador de carne de frango mundial e o 3º maior produtor, atrás dos USA e da China. Do volume total de frangos produzidos pelo Pais, 69% é destinado ao consumo interno e 31% às exportações. A avicultura brasileira emprega mais de 3,6 milhões de pessoas direta e indiretamente e responde por quase 1,5% do Produto Interno Bruto – PIB Nacional. O Setor é representado por dezenas de milhares de produtores integrados, centenas de empresas beneficiadoras e dezenas de empresas exportadoras. A importância social da avicultura no Brasil se verifica também pela presença maciça no interior do País, principalmente nos estados do Sul e Sudeste. Em muitas cidades a produção de frango é a principal atividade econômica.

A avicultura de corte é desenvolvida no estado do Pará desde 1960, tendo como principais polos de produção os municípios de Santa Izabel do Pará e Santarém. O plantel paraense é o maior da região Norte, ocupando o 11º lugar no ranking nacional. A produção anual no Estado está estimada em 168.500 toneladas, o que corresponde a 67,5 milhões de aves. No que se refere a avicultura de postura comercial, o plantel corresponde a 960.000 aves, e a matriz pesada 94.000 aves, todas em produção. A cadeia produtiva da avicultura possui papel relevante na segurança alimentar da população paraense, assim como, na geração de renda, envolvendo hoje cerca de 112 mil postos de trabalho direto e indireto.

Serviço:
4º Festival de Avicultura – AveFest 2013
Data: 07 a 10 de novembro
Local: Santa Izabel do Pará – Pará
Realização: Sinpriz, Apav e Aciasi
E-mail: avefest@gmail.com

Avefest 2013

 

Fonte: Faepa